ANO: 25 | Nº: 6332
10/04/2017 Cidade

Exibição do filme Mulher do Pai emociona moradores de São Sebastião

Foto: Antônio Rocha

Comunidade assistiu a sessão especial
Comunidade assistiu a sessão especial

Gravado em 2015, o filme Mulher do Pai, emocionou a equipe e comunidade na noite de sábado, com uma exibição realizada no pátio da Igreja de São Sebastião. Mesmo com a ameaça de chuva e o frio peculiar da região, o local ficou lotado. A equipe de produção utilizou os bancos da paróquia e o público também auxiliou levando cadeiras.

A diretora de produção, Gina O’Donell, não conseguiu esconder a emoção. No início da exibição, ela dedicou o filme a todos os homens e mulheres, de diversas idades, que auxiliaram e acolheram a equipe em suas casas e puderam trabalhar como motoristas, assistentes e consultores. “Fomos abençoados com um povo tão afável”, disse.

As atrizes Maria Galant, que interpretou Nalu, e a uruguaia Verônica Perlotta, que viveu a professora de arte Rosário, na trama, participaram da sessão especial. Ao lado da diretora Cristiane Oliveira, a equipe foi recepcionada de forma calorosa e amigável pelos moradores da vila.

A professora e artesã em lã crua, Matilde Viera, 50 anos, foi uma das consultoras para a concretização da obra, rodada 95% em São Sebastião (em Torquato Severo, distrito de Dom Pedrito), e 5% em Aceguá. Matilde contou que a maior parte do material que apareceu nas cenas foi confeccionado por ela. A professora também auxiliou o protagonista vivido por Marat Descartes, que na trama era artesão.

O trabalhador rural Jéferson Pereira Munhoz, 28 anos, foi o produtor local do filme. Ele auxiliou Gina e, por conhecer os moradores e a região, foi responsável por ajudar na montagem dos cenários. “Foi muito bom ter participado. Ganhei conhecimento e pude ser útil por conhecer as pessoas e como funciona a vida na região”, relatou.

A produtora de arte, Bianca Chiaradia, e o produtor José Crespo, foram os primeiros a chegar em São Sebastião, ainda em janeiro de 2015. Eles viveram no local até o encerramento das filmagens, que ocorreram em junho do mesmo ano. “Essa foi a estreia mais esperada por nós”, disse Bianca emocionada.

 

Prêmios

A obra trouxe para as telas o trabalho de Marat Descartes e Maria Galant como protagonistas da trama que conta a história de Ruben e Nalu, pai e filha que precisam reaprender a se relacionar após a morte da avó protetora. O filme recebeu sete prêmios em festivais nacionais, entre eles o de melhor direção no Festival do Rio, e Prêmio Abraccine na Mostra Internacional de São Paulo, ambos em 2016. A produção também foi selecionada para importantes festivais internacionais, como os de Berlim (Alemanha), Guadalajara (México) e Montevidéu (Uruguai). A estreia em salas de cinema de todo o Brasil está prevista para 1º de junho.

 

Apoio
De acordo com Cristiane, a produção contou com o apoio dos municípios de Dom Pedrito, Bagé e Lavras do Sul, e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul (Daer-RS). A diretora contou que este foi seu primeiro longa e não esperava receber tantos prêmios.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...