ANO: 25 | Nº: 6405
25/04/2017 Fogo cruzado

Legislativo rejeita convocação do diretor do Daeb

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Apenas Fuca e Lelinho votaram a favor do pedido
Apenas Fuca e Lelinho votaram a favor do pedido

O diretor do Departamento de Águas, Arroios e Esgotos de Bagé (Daeb), Volmir Silveira, deve comparecer ao Legislativo, mas não por força de convocação. A presença dele foi garantida pelo líder do governo na Câmara, Graciano Aristimunha, do DEM, ontem, durante votação do requerimento que formalizaria convite ao gestor, apresentado pelo líder do PT, vereador Lélio Lopes (Lelinho). O pedido foi rejeitado por 14 votos contrários, com base na informação de que o primeiro escalão vai estabelecer uma rotina espontânea de visitas à Casa.

Esta não é a primeira vez que a Câmara rejeita a convocação de Volmir. No final de março, também com os votos da base, o Legislativo já havia rejeitado pedido de Lelinho. As justificativas, porém, são novas. Se, há um mês, os parlamentares argumentavam que o diretor da autarquia precisava de tempo para conhecer melhor as demandas, agora, os vereadores entendem que, diante da intenção de comparecer espontaneamente, por meio de um cronograma que ainda será estabelecido, não caberia formalizar a convocação.

A pauta proposta por Lelinho era variada. O petista chegou a argumentar que o requerimento não consistiria em uma convocação, e sim em um convite. Além de projetos do Daeb, o vereador deveria propor, ao diretor, debate sobre assuntos relacionados a contratações. O tema, aliás, foi explorado pelo parlamentar, durante discurso na tribuna, ontem, quando criticou gastos formalizados pelo Executivo e pela autarquia. Apenas Rafael Rodrigues (Fuca), companheiro de bancada, votou com Lelinho, a favor do pedido.

A base seguiu a posição de Graciano. O líder do governo chegou a sustentar que Volmir deve comparecer ao Legislativo dentro de quatro semanas. "Acertamos com o Executivo que, a partir de agora, sempre às segundas-feiras, haveremos de ter, na Casa, diretores e secretários, para apresentar informações sobre suas pastas", garantiu. Dois integrantes do primeiro escalão já compareceram: Mário Mena Kalil, que comanda a pasta da Saúde, e João Schardosim, titular da Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer.

Júlio Jardim, líder do PMDB, Omar Ghani, líder do PR, Luís Alberto Gonçalves (Chico), do PSB, Augusto Lara, do PDT, e Antenor Teixeira, do PP, declararam votos contrários à convocação, argumentando no sentido de que já existiria, com base no diálogo aberto pelo líder do governo, um fluxo de presença dos secretários na Câmara. O líder do PTB, vereador Ramão Bogado (Bocão), chegou a sugerir, porém, que Lelinho procurasse Volmir, no Daeb, mas também garantiu a agenda com o diretor. "Ele vai vir. Não precisa ser convocado", reforçou.

Antes da conclusão da votação, os argumentos da base foram rebatidos pelos dois integrantes da bancada petista. Fuca classificou o convite a Volmir como 'importante' para o Legislativo. "O diretor do Daeb já teve tempo para estudar a autarquia. A Câmara não pode esperar o que o secretário quer. Isso é um parlamento. Convocar é uma prerrogativa do vereador. Não vejo nada demais nisso", pontuou. Lelinho foi mais enfático em suas críticas. "A função do vereador é fiscalizar, e não blindar os secretários. Quem não deve, não teme", cutucou.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...