ANO: 25 | Nº: 6256

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
29/04/2017 Airton Gusmão (Opinião)

Fica conosco Senhor!

O grande desafio para todo cristão, a partir da alegria da Páscoa, é crescer na intimidade de Cristo na certeza de que Ele caminha ao nosso lado. Esta é a grande mensagem da Liturgia da Palavra deste 3º Domingo da Páscoa (Lc 24,13-35). A realidade da Ressurreição é algo completamente diferente de todos os acontecimentos já vistos pela história humana; por isso, todos os Evangelhos depois da Páscoa apresentam em comum a dificuldade dos discípulos em reconhecerem o Senhor e, este é também o nosso grande desafio, isto é, saber encontrar o Senhor Ressuscitado que caminha ao nosso lado.

A transmissão da fé hoje enfrenta dificuldades, não somente devido a ressignificação de muitos valores, mas também ao crescimento do individualismo, do consumismo e de outros fatores que fazem a Igreja repensar a sua missão de evangelizar. Talvez, muitos de nós, atualmente, devido a esta realidade de grandes incertezas que vivemos, principalmente no nosso País, estejamos como aqueles discípulos de Emaús, tristes e desiludidos. A vida, às vezes, nos fere de tal maneira que também somos tentados a tomar o rumo de “Emaús” e virar as costas ao projeto de Deus. Porém, sabemos pelo Evangelho que Jesus toma a iniciativa de caminhar conosco, da mesma forma que fez com aqueles discípulos: “(...) O próprio Jesus aproximou-se e pôs-se a caminhar com eles” (Lc 24,15) e, através da Palavra e da Eucaristia, novamente é capaz de reacender em nossos corações a fé, a esperança e, nos dar forças para seguirmos adiante no caminho.

O caminho de Emaús é, assim, símbolo do nosso caminho de fé, pois aprendemos que a conversão não é ficar remoendo os nossos pecados, mas entrar na dinâmica alegre do Reino que nos foi dado gratuitamente: “Converter-se já não significa tornar para trás à aliança violada: significa fazer um salto em frente e entrar no Reino que apareceu gratuitamente por decisão de Deus no meio dos homens”. (Fr. Raniero Cantalamessa); portanto, somos chamados a reconhecer o Senhor que está vivo através da escuta da sua Palavra e da fração do Pão, ou seja, “(...) a fé dos cristãos é a ressurreição de Cristo".

No entanto, não basta somente reconhecê-lo vivo em nosso meio a partir de um encontro pessoal; é preciso testemunhá-lo, fazer as coisas que sabemos que nos levam a um testemunho fiel de Cristo Ressuscitado. “Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria”. (Bento XVI). Diante disso, todos nós precisamos nos perguntar: neste momento difícil pelo qual passa o nosso País, como posso ajudar? Independentemente de qualquer governo, cabe a nós como cristãos olhar para o povo que sofre sem emprego, saúde, educação, aposentadoria, na certeza de que todos têm direito à plena realização da sua dignidade pessoal e comunitária. O pedido dos discípulos de Emaús deve ser também o nosso: “Fica conosco Senhor” (Lc 24,29), para que possamos aprender de Ti a servir a todos os homens e mulheres e não deixar que o ‘bem-estar’ de alguns e a corrupção, fale mais alto em nosso meio do que a paz e a justiça.

Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...