ANO: 25 | Nº: 6438
05/05/2017 Fogo cruzado

Cota para mulheres na mesa diretora da Câmara de Bagé é arquivada

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Maioria dos vereadores votou pelo arquivamento
Maioria dos vereadores votou pelo arquivamento
A votação do parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final (CCJ), pelo arquivamento ao projeto que estabelece a obrigatoriedade da presença de uma vereadora na mesa diretora da Casa, dividiu as bancadas do PP e do PT. Em uma votação apertada, o texto foi arquivado com os votos contrários da vereadora Sonia Leite, líder progressista, e de Lélio Lopes (Lelinho), líder petista. Antenor Teixeira e Rafael Rodrigues (Fuca) votaram pela inconstitucionalidade.
O líder do PSB, vereador Luís Alberto Gonçalves (Chico), defendeu a constitucionalidade da matéria. Entre as vereadoras, Sonia votou sozinha. Alguns parlamentares que subscreveram a matéria, inclusive, também votaram pelo arquivamento. “Pela primeira vez, vou concordar com o PT, com o vereador Lelinho. Sempre quis ser presidente. Nunca pude porque os homens se apoderam”, destacou a parlamentar, que está no quinto mandato.
A vereadora Beatriz Souza, da Rede Sustentabilidade, uma das proponentes da matéria, ao lado de Sonia, não acompanhou as votações. Ela cumpria agenda, em Porto Alegre, e se manifestou através de sua assessoria de imprensa. “Era um projeto muito importante para a representatividade da mulher no cenário político da nossa cidade. É uma pena que meus colegas não viram a mesma importância em, não apenas homenagear as mulheres, e sim realmente dar espaço para que tenham a representatividade merecida”, pontuou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...