ANO: 25 | Nº: 6284
05/05/2017 Segurança

Polícia Civil indicia 42 pessoas ligadas ao “Jogo de Bicho”

Foto: Tiago Rolim de Moura

Organização movimentou em quatro anos mais de R$ 520 milhões
Organização movimentou em quatro anos mais de R$ 520 milhões

A Delegacia Regional de Santana do Livramento indiciou 42 pessoas ligadas a duas quadrilhas que comandavam o jogo do bicho pela internet no Rio Grande do Sul.

A delegada Ana Luíza Tarouco, afirmou que por enquanto não irá revelar nome dos indiciados no inquérito. “Em Bagé, cerca de 10 pessoas foram indiciadas, já constando, inclusive, o líder de uma das quadrilhas, que está preso preventivamente, Mário Kucera. Posso também dizer que há outros membros da família Kucera indiciados, somente não citarei os nomes”, ressaltou.

Conforme a delegada, o inquérito, que possui 10 mil páginas, com indiciamentos por contravenção penal, lavagem de dinheiro, organização criminosa e corrupção passiva, foi remetido ao Ministério Público, no final da tarde desta quarta-feira. “Têm algumas diligências ainda para ser feitas, estamos em andamento, agora é esperar a denúncia da promotoria”, disse.

Operação

A operação Deu Zebra foi uma ação policial de combate à lavagem de dinheiro deflagrada em 25 de abril deste ano, na região da Campanha e Fronteira do Estado. A investigação, de 16 meses, identificou uma organização criminosa que atuava no ramo de jogos de azar, configurando também os delitos de organização criminosa e lavagem de capitais

Ao todo, foram cumpridas buscas em 14 cidades do Rio Grande do Sul, totalizando 237 ordens judiciais, sendo 14 mandados de prisão preventiva, 73 mandados de busca e apreensão, sete mandados de condução coercitiva, 57 mandados de busca e apreensão de veículos, 19 sequestros de imóveis e bloqueio de contas bancárias pertencentes a 67 pessoas físicas e jurídicas diferentes.

Na operação, foi descoberto que os dois grupos controlavam a contravenção em mais da metade do Rio Grande do Sul e movimentaram em quatro anos o valor de R$ 521 milhões. No dia 25 de abril, 23 suspeitos foram presos de forma preventiva. Parte dos indiciados responderá em liberdade.

Além disso, as quadrilhas tiveram 57 veículos e 19 imóveis apreendidos judicialmente, além de 67 contas bancárias bloqueadas.

Os bicheiros, a partir de Bagé e de São Gabriel, controlavam o jogo pela internet através de máquinas de cartão de crédito, modificadas para fazer as apostas. Os grupos tinham conexão com São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...