ANO: 25 | Nº: 6377
11/05/2017 Cidade

Conselheiros de cultura indicados pelo município tomam posse

Foto: Tiago Rolim de Moura

Representantes assumiram vagas em sete segmentos
Representantes assumiram vagas em sete segmentos

Os indicados pelo poder público municipal para assumir vaga no Conselho Municipal de Políticas Culturais foram empossados ontem. A entidade tem representação paritária; metade dos integrantes representa seguimentos da sociedade civil e a outra metade é indicada pela gestão do município.

O presidente do conselho, Neimar Rodrigues, comentou que desde 2010 há tentativas de implantar efetivamente o conselho na cidade. No último ano, já houve alguns avanços, como a indicação dos representantes da sociedade civil. Mas, até então, não haviam sido indicados representantes do poder público. Para Rodrigues, completar as cadeiras do conselho é um grande avanço, fundamental para o desenvolvimento da cultura em Bagé. "É um marco, uma ferramenta de incentivo cultural na região", destacou.

Ao todo, são 42 conselheiros, que terão o mandato de dois anos. Entre os indicados da prefeitura, estão Lúcia Gomes e Denize Rossal como titulares na área de Livro e Literatura, e como suplente Nelci Maria Jeismann; no segmento Música, quem assume é Flávio Dutra e Elizabeth Infantini, como titulares, e Lucas da Silva Barres como suplente; em Tradição e Folclore, assumem Faustina Campos e Geraldo Saliba como titulares e Caterine Brose como suplente; Anacarla Flores e Gladimir Aguzzi são os titulares das Artes Cênicas, enquanto Heloísa Beckman permanece como suplente; no segmento de Ciência, Tecnologia e Educação, assumem Adriana Lara e Gladis Carolina Saavedra como titulares e Marlos Mello como suplente; em Artes Visuais, Rita Gomes e Adriana Ferreira são as titulares e Aline Pinheiro Sabedra assume como suplente; para Eventos de rua, assumem Fabiano Costa e Cézar Fernandes como titulares e Lídio Danova como suplente.

Com mais de 38 anos de experiência em artes cênicas, Aguzzi adianta que não pretende limitar-se a atuar apenas em sua área de indicação, e sim atuar em cima da cultura como um todo. "Embora indicado para Artes Cênicas, pretendo me envolver em todas as áreas, mas, principalmente, definir bem uma política cultural para o governo", defende.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...