ANO: 24 | Nº: 6108
17/05/2017 Segurança

Departamento de Polícia do Interior projeta investimentos nas DPPAs

Foto: Tiago Rolim de Moura

Oliveira esteve, ontem, em Bagé
Oliveira esteve, ontem, em Bagé

Investimento nas Delegacias de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPAs) é uma prioridade para o Departamento de Polícia do Interior (DPI). A posição foi confirmada, ontem, pelo delegado Fernando Antônio Sodré de Oliveira, em entrevista coletiva, em Bagé. "A região da Campanha, onde está inserida a 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil, é uma área de agronegócios, então é prioridade trabalharmos em prol deste serviço, como o combate a todos os tipos de crimes rurais", relatou o diretor do DPI, que esteve na cidade para a posse do novo delegado regional, Luís Eduardo Sandim Benites.
Oliveira enfatiza que tem dupla finalidade investir nessas delegacias. "Temos que acolher as pessoas neste momento de angústia, humanizar o atendimento e também propiciar para os policiais civis que tenham um espaço para ter uma melhor qualidade de serviço", declarou o delegado. Durante a coletiva, Benites acrescentou que já estão com parcerias com empresas locais, e que a DPPA irá receber reformas. "Iremos fazer sempre essas parcerias, porque é para a comunidade este trabalho, humanização é a parte mais importante", concluiu o novo titular.


Efetivo

Oliveira salientou que o efetivo, apesar de defasado, ainda está razoavelmente contemplado e trabalhando muito bem. "Nossos índices de criminalidade, aqui, estão sob controle, com produtividade e remessa de inquéritos para o poder Judiciário, com as melhores taxas de agilidade, sendo uma das melhores do Estado. O nosso objetivo é qualificar cada vez mais o efetivo de servidores", ressaltou.
O diretor avalia a questão como delicada, pois o Estado está com recursos limitados, mas aponta alternativas. "Quanto ao efetivo pessoal, começamos uma turma, na Academia de Polícia (Acadepol); a terceira turma com 215 alunos. Em junho, 220 estão se formando, e já temos a primeira turma atuando. Sabemos que são poucos, pois temos mais aposentadorias do que policiais se formando. Também temos uma boa notícia, de que o governo, em breve, estará lançando o concurso público, onde abrirá vagas para 50 delegados, podendo chegar a 100 e mil agentes", informa.


Violência

Em relação à violência contra a mulher, a ação do DPI é institucional. "A primeira ação é a criação do Departamento de Grupos Vulneráveis. Outras propostas é efetivamente fazer com que as DEAMs (Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher) sejam cada vez mais equipadas e com mulheres no atendimento, e mais humanizado. Há também o Projeto Mediar, que é para mediação de conflitos, onde são preparados mediadores, policiais que auxiliam nesses casos", explica.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...