ANO: 25 | Nº: 6210

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
20/05/2017 José Artur Maruri (Opinião)

Escândalos

“Ai do mundo por causa por causa dos escândalos, pois há necessidade de virem os escândalos, contudo ai daquele homem por meio de quem vêm os escândalos. (Mateus. 18:7)”

Escândalo foi uma das palavras que mais foi ouvida nos noticiários da última semana. Não pode passar despercebida a crise ética e moral que está enraizada em todas as esferas do poder da nação brasileira.

Diante disso, fomos atrás de alguns significados do vocábulo “escândalo", segundo o Novo Testamento, em tradução de Haroldo Dutra Dias, e, depois, o Evangelho Segundo o Espiritismo de autoria de Allan Kardec.

Haroldo Dutra Dias além de exímio conferencista do Espiritismo, também é juiz de Direito e cursou matérias isoladas na graduação do curso de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, ministradas em cinco semestres de grego clássico, três semestres de literatura grega e um semestre de paleontografia e crítica textual. Estuda, ainda, hebraico, aramaico e tradição judaica. O que lhe possibilitou publicar uma tradução do Novo Testamento que, recentemente, foi editada pela Federação Espírita Brasileira.

O vocábulo “escândalo”, segundo ele, significa “pedra de tropeço”, tropeço; vacilo ou erro. Ofensa, choque. O substantivo “skandalon” significa armadilha d emolas ou qualquer obstáculo que faça alguém tropear, um impedimento; algo que cause estrago, destruição, miséria e, via de consequência, aquilo que causa um choque, que repugna, que fere a sensibilidade.

Por outro lado, muito antes do primeiro, Allan Kardec, ainda no século 19, assim referenciou: “No sentido vulgar, escândalo se diz de toda ação que de modo ostensivo vá de encontro à moral ou ao decoro. O escândalo não está na ação em si mesma, mas na repercussão que possa ter. A palavra escândalo implica sempre a ideia de um certo arruído. (...) No sentido evangélico, a acepção da palavra escândalo, tão amiúde empregada, é muito mais geral, pelo que, em certos casos, não se lhe apreende o significado”.

Para o Codificador do Espiritismo, Allan Kardec, quando Jesus diz que é necessário que o escândalo venha, ele explicita que, “estando em expiação a Terra, os homens se punem a si mesmos pelo contato de seus vícios, cujas primeiras vítimas são eles próprios e cujos inconvenientes acabam por compreender. Quando estiverem cansados de sofrer devido ao mal, procurarão remédio no bem. A reação desses vícios serve, pois, ao mesmo tempo, de castigo para uns e de provas para outros. É assim que do mal tira Deus o bem e que os próprios homens utilizam as coisas más ou as escórias”.

Desde que estejamos integrados nos estudos espíritas poderemos atravessar por estes momentos nebulosos com maior tranquilidade e serenidade, porque teremos apreendido o momento pelo entendimento de que existe uma inteligência superior por detrás. Trata-se de fé raciocinada.

Mas Jesus disse que ai daquele por quem venha o escândalo. Mais uma vez lançamos mão de Allan Kardec para buscar o seguinte entendimento:

“(...) Quer dizer que o mal sendo sempre o mal, aquele que a seu mau grado servir de instrumento à Justiça divina, aquele cujos maus instintos foram utilizados, nem por isso deixou de praticar o mal e de merecer punição”.

No entanto, não seremos nós os executores de tal punição, por isso, exsurge que em momentos como os atuais estejamos sintonizados com o Alto, através da prece e dos sentimentos de amor e paz para com todos, confiando em Deus e nas lições do mestre Jesus.

 

            (Referências bibliográficas: O Novo Testamento. Tradução de Haroldo Dutra Dias. FEB Editora. p. 108. Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB Editora. Cap. 8. p. 129-130)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...