ANO: 25 | Nº: 6255

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
27/05/2017 José Artur Maruri (Opinião)

Os espíritas cristãos

O Espiritismo, doutrina que veio ao conhecimento dos homens ainda no século 19, após compilação do ensinamentos dos espíritos realizada por Allan Kardec, veio calcado num tríplice aspecto, a saber: científico, baseado na investigação dos fenômenos das manifestações; filosófico, porque interpreta a relação de conhecimento do homem acerca do mundo, de onde viemos e para onde vamos e; moral com consequências religiosas.

         Com base nesse tríplice aspecto da doutrina dos espíritos, pode-se dizer que entre os que adotam as ideias espíritas há três categorias bem distintas:

         1º) Os que creem pura e simplesmente nos fenômenos das manifestações, mas que não lhes deduzem nenhuma consequência moral;

         2º) Os que veem o lado moral, mas o aplicam aos outros e não a si próprios;

         3º) Os que aceitam para si mesmo todas as consequências da doutrina e que praticam ou se esforçam por praticar a sua moral.

         Para Allan Kardec, no terceiro grupo estão os verdadeiros espíritas, os espíritas cristãos, porque segundo o ilustre professor de Lion, a moral cristã reza o seguinte:

         “Amai-vos uns aos outros; perdoai aos vossos inimigos; retribuí o mal com o bem; não tenhais ódio, nem rancor, nem animosidade, nem inveja, nem ciúme; sede severos para convosco mesmos e indulgentes para com os outros. Tais devem ser os sentimentos de um verdadeiro espírita, daquele que vê o fundo e não a forma, que põe o Espírito acima da matéria; este pode ter inimigos, mas não é inimigo de ninguém, pois não deseja o mal a ninguém e, com mais forte razão, não procura fazer o mal a quem quer que seja”.

         A aplicação da moral cristã, entre os adeptos do Espiritismo, os coloca no grupo de verdadeiros espíritas, mais do que isso, os coloca no grupo de verdadeiros cristãos.

         Isso porque, não importa que o indivíduo se diga cristão, o que irá determinar, aos olhos do Cristo, sua posição no “Reino dos Céus” serão as suas ações.

         Como bem dizia o saudoso Francisco Cândido Xavier, “o bem que praticares em algum lugar é teu advogado em toda parte”.

         Enfim, no dizer de Allan Kardec “(...) o Espiritismo tem por divisa: Fora da caridade não há salvação, o que significa dizer: Fora da caridade não há verdadeiros espíritas. Concito-vos a inscrever, doravante, esta dupla máxima em vossa bandeira, porque ela resume ao mesmo tempo a finalidade do Espiritismo e o dever que ele impõe”.

         (Referências: Allan Kardec. Viagem Espírita em 1862. FEB Editora. p. 53-54)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...