ANO: 25 | Nº: 6330

Norberto Dutra

redacaominuano@gmail.com
Pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus de Bagé Doutor em Divindade
03/06/2017 Norberto Dutra (Opinião)

As bem-aventuranças (parte três)

Neste artigo, trataremos de um tema onde cada um de nós temos a nossa própria interpretação; todavia nos esforçaremos para sermos o mais fidedigno possível, e assim transmitir com clareza e simplicidade a interpretação genuína da ideia aqui transmitida pelo Mestre Jesus.

“Bem-aventurados os que choram porque serão consolados” Mateus 5: 4. Do ponto de vista interpretativo da gramática, “manso” significa: Estado de espírito de alguém que tem controle, serenidade, calma, pessoa sem agitação.  No sentido histórico esta palavra era utilizada para designar:

Um povo selvagem que tinha sido dominado que se tornava “manso”.

Numa obra de Platón, ele descreve a uma criança pedindo para que o médico que o tratava fosse “manso”.

Quem tratava as pessoas com dignidade e respeito era considerado “manso” Porém o maior exemplo o temos na personalidade de Jesus, vejamos: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. Mateus 11: 28- 30.

O sentido da mansidão de Jesus neste texto se entende como que Jesus tinha a capacidade de aceitar a vontade suprema do criador. Podemos dizer que desde o ponto de vista de Jesus “manso”, é estar capacitado a entender a vontade divina, viver na vontade do Senhor, e assim estar disposto a obedecê-lo conforme aos seus mandamentos. Como interpretar a promessa do Senhor? “Porque herdarão a terra”, certamente não se refere a uma conquista de um lote geográfico, nem mesmo de um império, definitivamente Jesus estava nos prometendo participarmos do seu reino, onde os parâmetros e critérios são totalmente diferentes as formulas utilizadas pelo homem para dominar e manipular ao seu próximo. Jesus se referia à vida eterna, onde não haverá mais dor, nem lágrimas, nem tristeza, ou angústia, e conforme a sua santa palavra nossas lágrimas serão enxugadas pelo próprio Senhor.

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi, também, a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” Apocalipse 21: 1-4. Sublime promessa! Estimados leitores continuem conosco pois a vossa companhia é motivadora para nós, desejo que as bênçãos do Altíssimo sempre estejam com todos vocês. Até a próxima semana. Amém!  

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...