ANO: 24 | Nº: 6084

Márcia Dilmann Sousa

marciasifa@hotmail.com
06/06/2017 Márcia Dilmann Sousa (Editorial)

Terceira principal data do comércio

O Dia dos Namorados gera expectativa de aumento de vendas no comércio. E para atrair o consumidor, os lojistas não poupam esforços. As vitrines são os maiores atrativos. Em Bagé, as lojas já estão enfeitadas para a que é considerada a terceira principal data para o comércio. Pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) indica que o Dia dos Namorados deve injetar cerca de R$ 11,5 bilhões na economia do País. De acordo com o levantamento, ainda que o número de pessoas interessadas em presentear alguém seja alto, a maior parte dos compradores não deve aumentar os gastos em comparação com o ano passado. Apenas 9% desses consumidores disseram que têm a intenção de gastar mais com os presentes. A maior parte (32%) planeja gastar a mesma quantia que em 2016, enquanto 24% pensam em diminuir. Os consumidores indecisos somam 16%. A situação financeira ruim é a principal justificativa para 44% dos entrevistados que vão gastar menos no Dia dos Namorados deste ano, seguida de 37% que pretendem economizar, 25% devido ao aumento da inflação e da economia instável e 18% por causa de dívidas em atraso. Entre aqueles que pretendem aumentar os gastos na data, 56% querem comprar um presente melhor e 40% dizem que os presentes estão mais caros. Só 8% vão gastar mais porque tiveram melhoria na renda. A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, argumenta que comprar o presente à vista é uma boa alternativa para fugir do endividamento.

 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...