ANO: 25 | Nº: 6353

Márcia Dilmann Sousa

marciasifa@hotmail.com
13/06/2017 Márcia Dilmann Sousa (Editorial)

Sem promessas aos prefeitos

O excesso de chuvas dos últimos dias no Rio Grande do Sul deixou um rastro de destruição e desabrigados em vários municípios. Na região, a zona rural de Candiota foi a mais afetada pelas enxurradas, com destruição de telhados, estradas intransitáveis, pontes destruídas e prejuízos na produção, importante fonte de renda das famílias e do município. Ontem, por meio do boletim oficial da prefeitura de Bagé, foi informado que aqui também foi assinado decreto de emergência na semana passada. Também foi realizado um encontro com os prefeitos dos municípios afetados pelos temporais na Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. Entre as reivindicações ao governo federal está o repasse de R$ 339 milhões para auxílio emergencial aos municípios atingidos. O presidente da Famurs, Luciano Pinto, disse que os prefeitos querem que o recurso seja liberado de forma imediata. Em nota enviada ao MINUANO, a Famurs informou que o ministro demonstrou que o governo federal tem monitorado a situação no Estado, porém evitou fazer qualquer promessa. O ministro alegou que os técnicos da Integração Nacional ainda quantificam os prejuízos das cidades gaúchas.

Entre as solicitações da Famurs para a União, estão pagamento das emendas parlamentares aos municípios em situação de emergência; liberação de recursos para construção de casas populares, minha Casa Minha Vida e cartão reforma; liberação de recursos do FGTS e Bolsa Família para famílias atingidas; abertura de uma linha de crédito a juros de 4% ao ano e viabilização do Fundo Nacional de Catástrofe com repasse diretamente de recursos fundo a fundo no valor de R$ 100 mil para governos municipais. A federação já havia apresentado uma lista de pedidos ao governo de José Ivo Sartori.

 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...