ANO: 23 | Nº: 5669

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
Prefeito de Bagé
19/06/2017 Divaldo Lara (Opinião)

Alguns esclarecimentos sobre o lixo em Bagé

Ninguém mais que eu, como prefeito, tem interesse na normalização da coleta do lixo em nossa cidade. Mantenho contato direto e cobro resultados imediatos da Secretaria do Meio Ambiente e Proteção ao Bioma Pampa e da empresa responsável pelo serviço para que tomem todas as providências possíveis e necessárias. E é isso que estão fazendo.

Acredito que em menos tempo que as duas semanas previstas, teremos containers, coleta e transporte eficientes. Ou, ainda, melhor que antes.

No entanto, é preciso que a população saiba que a situação do lixo em Bagé estava à beira da tragédia.

Nos oito anos em que estive na Câmara Municipal de Vereadores acompanhei o tema e vi os absurdos cometidos, principalmente por descaso e desinteresse. Fui parceiro do vereador Carlinhos do Papelão nos alertas referentes à falta de responsabilidade com o lixo da cidade.

O problema se tornou tão grave que uma estranha medida foi tomada: ao invés de encontrar uma solução eficaz e prática no próprio aterro do município, o lixo de Bagé passou a ser transportado para Candiota por R$ 400 mil ao mês. Armazenamento, transbordo, triagem, transporte, enfim, tudo irregular. A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e o Ministério Público (MP) tiveram de intervir. A determinação: selar a  célula 5 e construir a célula 6. Nada foi feito.

Ou seja, quando assumimos a prefeitura, em janeiro, tudo que se relacionava ao aterro sanitário estava fora da lei. E o lixo passou a ser preocupação constante do nosso governo.

Assinei a autorização para o início da obra de recuperação do aterro. E o serviço foi feito de forma exemplar. A quinta célula foi selada. O que era um lixão a céu aberto se tornou um lugar que comprova nosso respeito ao meio ambiente. O próximo passo é abrir a sexta célula e acabar com essa história de mandar os resíduos sólidos de Bagé para outro município. O que ocorrerá em breve. Agora, a urgência e regularizar o dia a dia da coleta na cidade.

A população sabe que pode contar com o meu empenho e de minha equipe. Quero e vou fazer um governo que orgulhe os bajeenses. No entanto, é preciso deixar bem claro que os males da herança petista não se resolve da noite para o dia.

Lembro, ainda, que o Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS), em setembro do ano passado, acatou representação do Ministério Público de Contas (MPC), e suspendeu a licitação da administração passada, cujo objeto era a contratação de empresa para a prestação dos serviços de coleta, transporte e destinação final do lixo produzido no município. Estamos trabalhando limpar pendências como esta.

Campanha do Agasalho

A Campanha do Agasalho está em andamento. À frente desse trabalho estão integrados o secretário de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso, Carlos Adriano Carneiro, e a Primeira Dama, Priscila Fischer Lara. O processo de triagem ocorre no Ginásio Militão. Mais de 100 voluntários participam da separação.

Neste ano, não esperaremos o fim da campanha para entregar as roupas arrecadadas e nem permitiremos que mofem guardadas em compartimentos para que nunca sejam doadas. 

Equipes da assistência social, agentes comunitários de saúde e do Primeira Infância Melhor estão verificando os cadastros das famílias necessitadas para começar a distribuição. O ônibus da Smasi irá aos bairros fazer a entrega. Não vamos deixar ninguém passar frio em Bagé. 

Contato para a telecoleta é: 3247 1763 e 3240 4300 (Defesa Civil). E tem ponto para deixar sua doação por toda a cidade.  

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...