ANO: 24 | Nº: 5960
21/06/2017 Cidade

Obra que vai abrigar radioterapia inicia em novembro

Foto: Tiago Rolim de Moura

Terreno fica localizado ao lado da Unacon
Terreno fica localizado ao lado da Unacon

O projeto de implantação da radioterapia na Santa Casa de Caridade de Bagé deve iniciar em novembro. A data foi confirmada pelo provedor da entidade, Airton Lacerda. Desde que foi inaugurada, a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), em dezembro de 2010, a expectativa gira em torno da disponibilização do novo serviço.

A articulação iniciou em 2012, quando o município assinou o termo de adesão para o Plano de Expansão da Radioterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Após, várias tratativas foram feitas para o início da obra. A estrutura deve ser construída ao lado do prédio atual da oncologia, onde hoje é um terreno baldio. A área exigida pelo Ministério da Saúde é de 1.170 metros quadrados, o que fez com que alguns municípios precisassem desistir do programa de expansão de radioterapia. Estão previstos 80 aparelhos em todo o País.

O Ministério da Saúde já fez várias visitas técnicas no local, e, agora, conforme Lacerda, foi solicitado dois técnicos em radiologia do hospital para realizarem uma qualificação. O novo espaço deve abrigar o acelerador linear com dupla energia. O valor não foi divulgado. Toda a documentação necessária foi enviada em 2012 .

De acordo com o médico Dionísio Becker, que coordena o serviço de quimioterapia na cidade, houve um atraso no cronograma. Ele salienta que o ministério havia anunciado o início para abril deste ano, mas, devido à crise política e financeira, o prazo foi postergado.

A obra, coordenada pelo Ministério da Saúde, vai abrigar serviço de radioterapia na modalidade teleterapia, conforme explica Becker. O aparelho trabalha com fótons e elétrons que permitem tratar doenças profundas (em órgãos como pulmão e esôfago) e também superficiais, na pele e tecidos subcutâneos.

Segundo o médico, nenhuma cidade contemplada no Rio Grande do Sul com o serviço começou a obra. Ele salienta que a melhoria deve atingir seis municípios da região e atender uma média de 40 a 50 pacientes por mês, entre SUS e convênios. O serviço de Oncologia atende cerca de 600 pacientes por mês e a estimativa de Becker é que a radioterapia atenda um número maior do que o inicial.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...