ANO: 25 | Nº: 6458
22/06/2017 Cidade

Artesãos bajeenses terão trabalhos expostos em Brasília

Foto: Divulgação

Peças trabalhadas em madeira vão ser levadas de Bagé para o Distrito Federal
Peças trabalhadas em madeira vão ser levadas de Bagé para o Distrito Federal

Doze artesãos de Bagé vão expor trabalhos na 25ª Expotchê, em Brasília. A mostra acontece de 30 de junho a 9 de julho, no Parque Sarah Kubitschek.

O presidente da Associação Bajeense de Artesãos (Abas), Reni Spíndola, participa da exposição desde 2007. Ele leva, para o Distrito Federal, o trabalho que desenvolve há mais de 20 anos com madeira. Neste ano, o presidente irá novamente, representando Bagé e os outros 11 artesãos que estão encaminhando a produção artesanal regional.

Além de apresentar o material, Spíndola também pretende fazer uma pequena amostra do trabalho feito em madeira. “Vou levar meus equipamentos e fazer algumas peças para mostrar o processo”, conta.

O bajeense diz que a participação da Abas no evento só foi possível graças ao trabalho realizado pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), que, em Bagé, funciona junto à agência Sine. A entidade é responsável pelo transporte das mercadorias da Rainha da Fronteira até Brasília, realizando gratuitamente a logística, que custaria mais de R$ 30 mil para os artesãos.

A parceria entre Abas e FGTAS foi organizada pela assistente administrativa Sandra do Amarante Faria e pela administradora da agência, Michele Boschmann. Apenas os artesãos devidamente cadastrados no sistema da fundação podem utilizar o serviço de transporte e têm isenção de tributação no deslocamento.

Atualmente, existem cerca de mil inscritos, entre ativos e inativos, no sistema da fundação. Com a carteira de artesão, feita pelo FGTAS ao custo de R$ 22 e com validade de dois anos, é possível dispor de transporte sem custo e ter isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), obtendo a nota fiscal para o trânsito da mercadoria. “A carteira é muito importante, porque além de oficializar o exercício da atividade, também pode ser utilizada como comprovante de renda”, destaca Sandra.

Todo o material para a exposição será levado até Brasília em um caminhão fretado pela FGTAS, exatamente com este objetivo. Além das peças de Bagé, também serão levados artigos de outras partes do Estado.

 

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...