ANO: 24 | Nº: 6161
23/06/2017 Cidade

Moradores do bairro Narciso Suñe reclamam de notificação do Daeb

Foto: Tiago Rolim de Moura

Via tem esgoto a céu aberto
Via tem esgoto a céu aberto

 Cerca de 30 residências da rua João da Silva Tavares, no bairro Narciso Suñe, foram surpreendidas, nesta semana, por uma notificação do Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé (Daeb). O documento exige que seja instalada fossa séptica, filtro anaeróbio e instalações hidráulicas nas residências.

De acordo com o aposentado Darcy Rodrigues da Silveira, que vive no local há 18 anos, a determinação obriga os moradores a instalarem o filtro em 60 dias. Ele salienta que a via não tem rede de esgoto e a maioria das casas que tem bueiros foram os próprios moradores que colocaram. “Já tenho fossa no pátio e agora terei que puxar um sistema para a rua”, comenta.

O caso também revoltou o aposentado José Luís dos Santos. O morador informa que recebe um salário mínimo e que não tem condições de realizar a exigência do departamento. Santos mora no local há 30 anos e salienta que os moradores precisaram colocar bueiros nas casas para o esgoto não ficar a céu aberto. “Fizemos o orçamento e precisamos investir quase R$ 1 mil para colocar a fossa e o filtro. Como iremos comer?”, diz.

 A pensionista Santa Araci Pereira Rodrigues, passa pelo mesmo problema. Ela mora na via há 40 anos e enfatiza que a notificação a deixou confusa. “Não sei o que fazer, não tenho condições de fazer a obra”, desabafa.

Posição da autarquia

 De acordo com o diretor geral da autarquia, Volmir Silveira, a notificação para instalação do sistema de tratamento do esgoto doméstico individualizado (fossa e filtro) buscam cumprir o estabelecido no Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta (TAC), firmado entre Daeb e Ministério Público, originado de denúncias realizadas pelos moradores da região através do inquérito de nº 00718.00114/2015.

 O diretor frisa que a decisão da implantação de sistema individualizado visa evitar o desague do esgoto in natura nas valetas e córregos, proporcionando uma melhor qualidade de vida aos moradores e diminuindo o impacto ambiental. “Estamos apenas cumprindo determinação judicial. Porém, estamos abertos para futuros diálogos sobre a questão”, afirma.

 Debate na Câmara de Vereadores
O tema foi levantado, ontem, na Câmara de Vereadores, pelo vereador Lélio Lopes (PT).  O legislador foi procurado pelos moradores da via que pediram apoio para resolver a questão. Os vereadores irão  ao departamento para debater o tema e buscar soluções.   

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...