ANO: 24 | Nº: 6107

Márcia Dilmann Sousa

marciasifa@hotmail.com
27/06/2017 Márcia Dilmann Sousa (Editorial)

Emprego em queda

Enquanto a produção na indústria aumenta, o emprego continua em queda. A constatação é do levantamento da Conferência Nacional da Indústria (CNI). De acordo com os dados, depois do fraco desempenho em abril, provocado especialmente pelo grande número de feriados, a produção da indústria brasileira cresceu em maio. Já o emprego continua em queda, embora em ritmo menor do que o registrado nos meses anteriores. O índice de evolução do número de empregados subiu 1,1 ponto em relação a abril, alcançou 48,1 pontos e ficou abaixo da linha divisória dos 50 pontos, que separa os dados negativos dos positivos. Conforme a CNI, as perspectivas são de que o emprego continuará caindo no curto prazo. O indicador de expectativa de evolução do emprego nos próximos seis meses ficou em 48,8 pontos, abaixo da linha divisória dos 50 pontos, que separa as previsões positivas das negativas. O País passa por uma crise sem precedentes na história. A onda de corrupção, o descrédito político e a economia combalida afundaram o Brasil aos olhos dos investidores. É urgente uma reforma, além de redução da burocracia e administrativa. Para que os brasileiros possam vislumbrar um novo cenário no campo econômico, é necessário investimento para que haja aumento de produtividade e trabalho, ao contrário do que está ocorrendo, onde o governo quer apenas tirar direitos adquiridos do trabalhador, como a ideia ventilada pelo Ministério do Planejamento de reter parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para substituir os primeiros meses do seguro-desemprego.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Outras edições

Carregando...