ANO: 26 | Nº: 6528
29/06/2017 Segurança

Corpo de vítima foi liberado para sepultamento no final da tarde

Foto: Divulgação

Vítima deixa um filho de seis anos
Vítima deixa um filho de seis anos

O corpo de Fátima Regina Lima, 28 anos, ficou até as 17h30min de ontem à espera de reconhecimento oficial por parte de familiares no Departamento Médico Legal do Cemitério da Santa Casa de Caridade de Bagé. O reconhecimento só foi feito no final da tarde pelo ex-companheiro da vítima. Por volta das 18h30min, o corpo foi liberado para o sepultamento. O funeral foi pago pela Prefeitura de Bagé.

O corpo da mulher foi encontrado por um popular no local conhecido com Cachoerinha, às margens da BR-293, em Hulha Negra, por volta das 13h de terça-feira. O cadáver tinha marcas de tiro na cabeça e no tórax.

A informação inicial da polícia era de que Fátima, natural de Novo Hamburgo, morava em Bagé. Ontem, foi informado que ela morou na Rainha da Fronteira, por cerca de 10 anos, e, há um mês, estava residindo em Candiota. A vítima deixou um filho de seis anos. O atestado de óbito foi registrado em Hulha Negra.

Investigação do crime

A informação extraoficial é de que nenhum familiar da vítima veio a Bagé. Eles foram comunicados da morte pela polícia.

A Delegacia de Polícia em Candiota, comandada pelo delegado Cristiano Ritta, está ouvindo pessoas conhecidas da vítima. “Ainda não sabemos quantas pessoas serão ouvidas, hoje (ontem) ouvimos quatro testemunhas. A vítima possuía antecedentes criminais”, confirmou, o que já havia dito ao MINUANO.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...