ANO: 26 | Nº: 6589
01/07/2017 Caderno Integra - Geteco 60 Anos

Curiosidades que marcaram os 60 anos do GETECO

Foto: Josiane Carvalho

Maquete comemorativa feita pelos alunos
Maquete comemorativa feita pelos alunos

Sessenta anos de história resultam em inúmeras curiosidades e momentos peculiares vividos dentro do ambiente escolar. Milhares de alunos, centenas de professores e funcionários deram juntos os passos largos da construção e consolidação do renomado Geteco. De lendas contadas dentro da escola a histórias vividas pelos atuais e ex-docentes e discentes, aqui, traremos o que dizem pelos corredores da escola.

A instituição surgiu da necessidade de um grupo de alunos impossibilitados de estudar e que buscavam uma formação profissionalizante. Os anos seguintes à criação da escola foram muito difíceis pra quem a frequentava, não haviam janelas ou portas. No inverno, os alunos usavam madeiras que traziam de suas casas e ganhavam de doações para impedir o frio de congelar seus dedos atados às canetas. Os terrenos do pátio e do prédio foram recebidos de benfeitores.

Durante esse processo de construção, os alunos mais ativos organizaram-se em um grêmio estudantil chamado Geteco, Grêmio Estudantil da Escola Técnica de Comércio, que foi tão importante nessa história, que acabou por dar o nome popular do colégio.

Segundo a professora Eliane Storniolo, docente a 28 anos na instituição, a escola técnica de economia e contabilidade deu origem ao curso de graduação em Ciências Econômicas, da até então Funba, hoje, a nossa Urcamp. Os primeiros professores da faculdade eram os mesmos do técnico.

Destacam-se as presenças notáveis da escola como, a porteira Magale Barros, conhecida pela fala mansa e a venda de doces, ou o professor e diretor da noite, Sandro Colares, que está sempre
preocupado com um ensino de qualidade. Outro diferencial destacado pelos alunos é a participação efetiva da escola na comunidade, “os cursos técnicos são à noite, mas procuramos interagir sempre com os alunos e participar de datas comemorativas como, festas juninas, gincanas, e semana farroupilha”, relata o diretor, Sandro Colares.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias do caderno

Carregando...