ANO: 25 | Nº: 6334
01/07/2017 Redação (ESPECIAL MUSEUS)

Há 50 anos

Foto: Arquivo JM

Coluna produzida a partir de pesquisa no acervo do Museu Dom Diogo de Souza. Pesquisadores: Bianca Brasil dos Santos, Eduardo Gonçalves, Samuel Oliveira e Tanize Lima Sedrez - alunos da disciplina História do Jornalismo, do curso de jornalismo da Urcamp.

 

Notícias do mês de junho no Correio do Sul de 1967

 

Ladrão de relíquias

A polícia bajeense, com a colaboração da guarda local de Melo (Uruguai), deteve o menor que havia furtado um revólver do porta-luvas de um carro, um relógio, um anel com pedras preciosas e um relógio de prata de bolso que pertenciam ao museu Dom Diogo de Souza. O jovem infrator havia fugido para a cidade uruguaia, onde cometeu outros delitos. O menor confessou o crime e disse guardar os itens na sua casa em Bagé.

 

Na lama

João Lucas Lopes foi encontrado morto por Adão Bandeira e seu colega de serviço Delcir dos Santos, moradores da Vista Alegre. Foi comunicado à polícia local que o homem tinha uma garrafa de bebida, ao seu lado, e a cabeça enterrada na lama. O corpo foi encaminhado ao necrotério da Santa Casa. Dizia o título da matéria do Correio do Sul: “Homem encontrado morto em uma valeta”

 

Furtos

 Uma vaca holandesa foi carneada na chácara de João Manoel Pinto, na Vila Damé. Os “gatunos” (como eram chamados na notícia) deixaram no local apenas os ossos e o couro do animal. Atualmente, ainda são realizados diversos furtos de animais na região. Também, neste mesmo dia, foram roubados cerca de 200 metros de arame, na Vila Conceição.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Outras edições

Carregando...