ANO: 25 | Nº: 6212
03/07/2017 Cidade

Bagé perde o jornalista Marcos Pérez

Foto: Divulgação

Sorriso largo e conciliador essas eram algumas características de Marcos Pérez
Sorriso largo e conciliador essas eram algumas características de Marcos Pérez

Morreu no sábado, 1º de julho, o jornalista e assessor de imprensa Marcos Roberto Pérez, 53 anos. Natural de Santana do Livramento, Pérez iniciou a carreira na comunicação em Bagé. Seu primeiro trabalho no jornalismo foi no jornal Correio do Sul, conforme lembra o jornalista José Higino Gonçalves.
Pérez dedicou parte de sua carreira à assessoria de imprensa. O amigo e companheiro de PT  Francisco Carlos Barcelos Martell (Kiko) dividia uma casa com o jornalista, no bairro Narciso Suñe, desde janeiro. “Eu conheci Marcos Pérez no ano 2000, e, desde então, ficamos amigos-irmãos e convivíamos muito. Esse amigo que perdemos hoje (sábado) era um dos últimos homens que realmente era socialista. Era de uma humildade única”, informa.

Kiko destaca que Pérez trabalhava em um novo projeto, articulando contatos para montar um jornal ou informativo alternativo. “Ele andava com ideia de fazer isso e também auxiliar na reconstrução do PT. Veio para Bagé para recuperar o partido. Sempre teve amor e fidelidade pela ideologia socialista”, ressaltou, ao frisar que o jornalista tinha um perfil conciliador. “Pregava o entendimento e a paz. Praticava a humildade. Nunca foi candidato a nada, pois era dos bastidores, como ele mesmo dizia”, reforça.
Para os amigos, fica a imagem de um homem que amava a política e o jornalismo. “Eu até brigava com ele, por estar sempre conectado, sempre atento a tudo. Tinha posição e visão do que ia acontecer no mundo. Lia jornais pela internet e estava sempre antenado com os acontecimentos”, comenta Kiko.
Pérez tinha quatro filhos (Juliana, Felipe, Guilherme e Maíra). Foi casado com a ex-vereadora Márcia Torres. Era conhecido como “professor”, por diversos jornalistas que com ele trabalharam. Auxiliou estagiários a compreenderem a política e como trabalhar em assessoria de imprensa. Nas redes sociais diversos amigos prestaram homenagens, prestando condolências a família e amigos.


Tratamento
O presidente do diretório bajeense do PT, Flávius Borba (Dajúlia), explica que Pérez estava em tratamento para diabetes. Kiko revela que, na sexta-feira, contou com a ajuda de amigos para levar o jornalista ao Pronto-Socorro. “Ele estava com dor. Quando chegamos, Marcos foi internado na Santa Casa de Caridade de Bagé e, no sábado (quando teve uma parada cardiorrespiratória), infelizmente não resistiu”, detalha.


Paixão pelo futebol
Pérez nutria paixão por dois clubes de futebol, conforme destaca Kiko. “Fazíamos churrascos, aos sábados, ouvindo e assistindo o jogo do Internacional ou do Grêmio Bagé. Ele era um colorado de coração, frequentava os jogos no Beira-Rio, na época que morava em Porto Alegre, e levava a camiseta do jalde-negro para todos lugares que visitava. Tinha fotos em Roma, com a camiseta, e tinha orgulho de falar da Rainha da Fronteira”, garante o amigo.


Trajetória profissional

Pérez começou a atuar no jornalismo no extinto jornal Correio do Sul. O assessor de imprensa foi um dos fundadores do extinto jornal De Fato, trabalhou na agência Objetiva e na rádio Cultura de Bagé. Ele também integrou o Sindicato dos Radialistas.
Sempre atuante no PT, Pérez foi um dos fundadores do partido em Bagé. Foi, ainda, presidente do diretório municipal, coordenador da campanha de Luiz Fernando Mainardi para deputado estadual. Fez campanhas para os presidentes Lula e Dilma, do PT, e também auxiliou nos pleitos da região, com destaque para o trabalho desempenhado ao lado de Luiz Carlos Folador, em Candiota. “Era comprometido com o partido, um homem com ideologia, fiel ao PT”, destacou Mainardi.
Pérez trabalhou com Mainardi desde a década de 1980, na Câmara de Vereadores de Bagé. Esteve à frente da Assessoria de Comunicação da prefeitura durante as gestões de Mainardi. Também atuou na secretaria estadual da Agricultura e Pecuária, no governo de Tarso Genro, na Câmara dos Deputados, quando Mainardi foi deputado federal, e, por fim, junto ao gabinete do parlamentar, na Assembleia Legislativa.
O deputado estadual o definiu como um homem perspicaz. “Um companheiro, um cara inteligente e perspicaz. Uma pessoa fantástica, que trabalhou comigo mais de 30 anos. Hoje é um dia muito triste. Perdemos uma grande pessoa, um homem fiel a suas ideologias e ao Partido dos Trabalhadores. Perdemos um grande amigo”, lamenta o parlamentar.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...