ANO: 25 | Nº: 6234
06/07/2017 Cidade

Revendedores de gás enfrentam queda no estoque

Foto: Tiago Rolim de Moura

Empresas estão recebendo o material aquém do solicitado
Empresas estão recebendo o material aquém do solicitado

As revendedoras de gás estão com dificuldades para reposição de estoques. Os proprietários de duas revendas de uma mesma distribuidora, Nilo Lages e Soel Faria Acunha, firmaram uma parceria com o objetivo de impedir que ocorra falta de estoque em suas empresas. Ambos estão se revezando no envio de caminhões que transportam gás para a cidade. Porém, atualmente, a distribuidora está lhes enviando cerca de 30% a menos de botijões.

Para o empresário Jérson Lopes, a situação não é tão diferente, dos cerca de 700 botijões requeridos, apenas 400 foram entregues. O proprietário conta que há risco de falta no estoque, sendo que vende cerca de 2,5 mil unidades por mês.

Para o representante de outra distribuidora, Sílvio Renato Camargo, sua empresa não está passando pelo problema de diminuição no material solicitado por carga. No entanto, segundo ele, antigamente vinham até quatro cargas por semana, e, hoje, os botijões são entregues apenas uma vez a cada sete ou oito dias.

Diminuição no valor

Após dois aumentos consecutivos, a Petrobras informou, na noite de terça-feira, a redução de 4,5%, em média, nos preços do gás liquefeito de petróleo (GLP), e do gás de cozinha, para uso residencial envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (GLP P-13), que começou a valer a partir da meia-noite de ontem. Porém, até então, os proprietários das revendas bajeenses consultadas ainda esperavam pelo retorno com um aviso oficial sobre esta baixa nos preços, sendo que alguns apenas souberam da informação via internet.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...