ANO: 24 | Nº: 6161

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
08/07/2017 Airton Gusmão (Opinião)

A oração de Jesus

O Evangelho deste domingo (Mt 11, 25-30) trata da oração de gratidão e louvor que Jesus dirige ao Pai. Nesta oração, Jesus, inundado de alegria no Espírito Santo, agradece e louva a Deus pelas atitudes que Este está tomando em favor dos humildes, dos pobres e que Jesus reconhece e confirma: “Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado” (Mt 11,26).

De fato, esta é a ação de Deus na história, é assim que ele age na humanidade. Se refletirmos bem, veremos que, desde Abraão, passando pelo Povo de Israel, os profetas e, de modo pleno em Jesus; Deus se manifesta como sendo um Pai e que somente O conhece quem se faz pequeno. A revelação de Deus não é um processo de conhecimento, mas é um dom que Ele dá a todos, mas nem todos são capazes de acolher. Este é um ponto alto no Evangelho de Mateus; nesta oração está claro que nem todos podem conhecer a Deus, mas somente os pequenos, pois Deus está do lado deles. Maria, no Magnificat, também exulta de alegria por reconhecer esta grande verdade:   “(...) dispersou os homens de coração orgulhoso. Depôs os poderosos e os humildes exaltou” (Lc 1,51-52). Jesus, pela sua ação prática, mostra e reconhece isto, ou seja, os seus ensinamentos não são acolhidos pelos Fariseus e doutores da lei, mas pelo povo simples e pobre de Israel. Jesus faz esta descoberta e isto o faz elevar um canto de louvor a Deus: “Eu te louvo, ó Pai” (Mt 11,25). Somente estes podem trazer para todos o Reino de Deus, porque conhecem e aderem verdadeiramente ao seu plano de Salvação.

 Podemos olhar para a situação do nosso país e perceber que esta descoberta de Jesus permanece na história. Enquanto muitos políticos “sábios e entendidos” (que até se dizem cristãos...!) envergonham o nosso País com propinas, lavagem de dinheiro, roubos; nesta semana uma Comunidade Católica de Bagé uniu-se para ajudar uma senhora de 92 anos que está cuidando de sua filha de 62 anos com problemas de saúde. A comunidade assumiu a dor, o sofrimento, a dificuldade desta senhora, se fez pobre como ensina Jesus no evangelho deste domingo, e nesta atitude revela sua profunda comunhão com o projeto de Deus. Só os pobres, os simples, podem compreender o Evangelho e, a estes, Jesus chama para si: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados, e eu vos darei descanso” (Mt 11,28); ou seja, só estes conhecem verdadeiramente Jesus e participam da sua missão.

Esta oração de Jesus deve provocar em nós uma profunda reflexão: mesmo com bens materiais, sabemos ser simples para acolher o Reino de Deus em nossa vida? Nos fazemos pequenos e olhamos para aqueles que nada tem, a exemplo daquela comunidade, participando da mesma missão de Jesus? Este é o convite que o Senhor nos faz na certeza de que: “Bem-aventurados os pobres no Espírito, porque deles é o Reino de Deus” (Mt 5,3).

  Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...