ANO: 23 | Nº: 5789

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
14/07/2017 Caderno Ellas

Bagé e sua beleza arquitetônica

Foto: Reprodução JM

Casa de Cultura Pedro Wayne
Casa de Cultura Pedro Wayne

Bagé e sua beleza arquitetônica

Em comemoração aos 206 da Rainha da Fronteira, o Caderno Ellas destaca nosso patrimônio arquitetônico, que referencia Bagé como umas das cidades mais belas em arquitetura e história do Rio Grande do Sul. Durante muitos anos, aqui, no Caderno Ellas, a arquiteta Adriana Alves valorizou, mensalmente, os mais imponentes e relevantes imóveis da cidade. Hoje, estamos recordando alguns dos relatos feitos por ela, com toda sua sensibilidade e profissionalismo.

 

Museu  Dom Diogo de Souza

O prédio da Sociedade de Beneficência Portuguesa, que abriga o Museu Dom Diogo de Souza, é um dos exemplares históricos mais belos de nossa cidade. Com características ecléticas de grande valor arquitetônico, o imóvel faz um desafio à topografia, permitindo avistar a cidade, e ainda nos presenteia com seus preciosos detalhes. Desde 1975, o prédio foi tombado pelo município para abrigar o museu. Inicialmente, tinha como objetivo assistir os portugueses residentes no município. Sua construção teve início em 9 de julho de 1871. Sua arquitetura se assemelha, em sua frontaria, com o Palácio de Queluz, em Portugal. Depois de concluído, o prédio foi alugado ao médico Mário Araújo, que além de atendimento aos associados da Sociedade Portuguesa, teve sua casa de saúde até 1940. Terminando esse contrato, o imóvel serviu para aquartelamento e voltou a ser hospital durante 10 anos. O espaço ficou desativado a partir de 1968 e foi restaurado pelo município em 1974/1975, na administração do doutor Antônio Pires, para receber o museu, através do convênio celebrado entre município de Bagé e Fundação Attila Taborda, onde funciona até os dias atuais.

 

Casa de Cultura Pedro Wayne

A Casa de Cultura local que divulga a arte e a história e valoriza o potencial artístico de Bagé. Espaço onde acontecem eventos e manifestações artísticas, contribuindo, significativamente, com a cultura da nossa terra. O prédio foi construído na década de 20, uma época de desenvolvimento e crescimento da cidade. Foi inaugurado em 15 de maio de 1929 para ser sede do Banco Nacional do Comércio de Bagé. Além de importante localização, possui acesso em diagonal e dimensões generosas. Na década de 70 ,a agência foi desativada. Em 1990, o prédio foi adquirido pela prefeitura, na administração do então prefeito, Luís Alberto Vargas, passando a sediar a vida cultural da comunidade, oficializada como Casa de Cultura Pedro Wayne, em homenagem ao ilustre escritor e jornalista da cidade.

 

Palacete Pedro Osório

Esse é mais um belíssimo prédio tombado pelo patrimônio do município. Foi construído para residência do médico Pedrinho Osório. O imóvel, com estilo neoclássico guarnecido de mármore, vitrais de bronze e ferro fundido, contém uma vasta área verde e um mirante onde se deslumbra a cidade. As estátuas dos cães foram executadas em ferro fundido e inseridas alguns anos após a conclusão da construção do palacete. Em 1951, o palacete foi vendido ao município, que cedeu ao Estado para ser sede do Escola Estadual Doutor Carlos Kluwe, em 1999. Ao ser devolvido à prefeitura, o prédio foi destinado à Secretaria Municipal de Cultura, permanecendo até os dias de hoje.

 

 

Antiga Estação Ferroviária de Bagé - atual Centro Administrativo                       

O prédio foi inaugurado em 2 de dezembro de 1884, por ocasião da inauguração da linha férrea que ligava Bagé a Rio Grande. No mesmo prédio, funcionou a estação telegráfica da estrada de ferro. Em 14 de outubro de 1924, um incêndio destruiu o local completamente. Cerca de 60 dias depois, foi iniciada a reconstrução da nova estação ferroviária, que cumpriu sua missão de mais da metade do século. Na década de 70, quando os trilhos saíram do centro da cidade, a estação passou a funcionar na Vila de Santa Thereza. Assim, o prédio, com dimensão generosa e localização privilegiada, deixou de ser estação ferroviária e passou a abrigar o Centro Administrativo da prefeitura desde 1980.                       

 

Prefeitura Municipal

A beleza das linhas arquitetônicas do prédio projetado pelo arquiteto Domingos Rocco não chama a atenção somente pelas linhas e pela fachada, mas, também, pelo seu interior, que é rico em detalhes igualmente interessantes. O prédio foi concebido para abrigar a intendência municipal, projetado mediante as necessidades da época, com salão para o Conselho Municipal, salas destinadas às secretarias, gabinete da intendência, e Câmara de Vereadores. Segundo o pesquisador Cláudio Lemieszek, a história da construção do prédio teve início na administração do major José Otávio Gonçalves e foi inaugurado em 24 de fevereiro de 1900.

 

Colégio Franciscano Espírito Santo

O colégio franciscano participa da vida dos bajeenses desde 1905, quando Bagé contava com aproximadamente 15.000 habitantes. Em 1906, foi feita a compra do terreno que seria destinado à construção do colégio, localizado na avenida General Osório. Em 1907, teve início a construção do novo prédio, que, em 1909, já se encontrava em plena atividade. A capela da escola foi construída em 1926. O prédio mantém suas características construtivas originais, sofrendo apenas intervenções em 1938, quando foram construídas mais salas de aula.

                   

Clube Caixeiral

Se originou da fusão dos clubes União e Progresso com o Caixeiro, em 1894. Diretores e sócios se organizaram em um mutirão e deram início às obras do clube, em 14 de outubro de 1911. Localizado em uma das principais avenidas da cidade, marca, com beleza, o encontro da avenida Sete de Setembro com a rua Ismael Soares. 

 

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...