ANO: 23 | Nº: 5740

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
14/07/2017 Caderno Ellas

Nossa Terra tem Palmeiras

Foto: Reprodução JM

Parte da equipe do Cultura Sul
Parte da equipe do Cultura Sul



A pedido do Caderno Ellas o grupo Cultura Sul produziu uma série de poemas em homenagem às palmeiras que muito bem caracterizam Bagé.


Quando sopra o minuano,

enverga o corpo esguio das palmeiras.

Dançam elas, cabelos desarrumados;

Fortes, belas e faceiras.

* Maria Conceição Rosa dos Santos

 

_____________________

 

Panorâmico

Minha terra tem palmeiras;

Tem angico e guajuvira,

Tem quero-quero e anu.

Minha terra tem ardores,

Com verde pampa de amores.

 

Minha terra tem palmeiras;

Tem cerro amigo faceiro,

Tem arroios galhofeiros;

Minha terra tem amores,

Com céus em esplendores.

 

Minha terra tem palmeiras;

Tem gente hospitaleira,

Tem gostoso mate amargo;

Minha terra tem fervores,

Com padroeiros, tem amores.

 

Minha terra tem palmeiras;

Tem bom cavalo crioulo,

Tem agropecuária pulsante;

Minha terra tem amores

Com vinho, frutas, sabores.

 

Minha terra tem palmeiras;

Tem quartéis e casarões,

Tem poeta e escritores;

Minha terra tem louvores,

Com artistas tem amores.

* Sarita Barros

 

_____________________

 

Ocorrência

E nos seus 206 anos, Bagé

ao abrir os olhos,

tropeçou na sua própria claridade

e desmaiou de beleza.

* Elvira M. Nascimento

 

Minha terra tem palmeiras

 

Minha terra tem palmeiras,

com suas almas verdes,

coadas pelo hálito da eternidade;

Minha terra tem sonhos inexplorados,
desassossegos e ausências;

Tem horizontes dobrados entre

melancólicos montes.

Tem imagens coladas no avesso

mistério das coisas;

Apelos ajoelhados no começo

de toda manhã;

Ideias que entardecem remanescentes

à beira de todos os caminhos;

E um fantasma oculto estendido

na mão de todo pensamento.

Minha terra tem palmeiras...

* Rafaela Ribas

 

_________________________

 

Yes, nos temos palmeiras,

Washingtônias importadas,

nem sei quando nem como

vieram parar aqui

e se fizeram guardiãs atentas

de nossas planuras eternas;

Nossa terra tem palmeiras,
som onde cantam pardais, corujas, morcegos,

bem-te-vis e pompos do mato;

suas folhas em leque são enceradas pela chuva,

despenteadas pelos ventos,

encorajadas pelo primeiro sol de cada manhã

e pelas últimas luzes de cada tarde,

do alto de seu pescoço deslocado de girafa,

conhecedora de nossos telhados, heroísmo e abismos;

Como fazem as nuvens e os passarinhos,

nossas palmeiras nos olham dia e noite

e abanam ironicamente suas cabeças de folha

* Norma Vasconcellos

__________________________

 

Minha terra tem palmeiras...

Minha terra, nossa terra

tem palmeiras, que não vê?

Quem plantou, quem defende

tal tesouro deste chão?

 

Minha terra, nossa terra

ainda tem água, quem não vê?

Cheias, ralas, sofridas

orando mil tratos de paz

 

Minha terra, nossa terra

ainda tem aves, quem não vê?

Seus cantos creditam esperança

nesta terra e em nosso Brasil

* Sônia Alcalde

 

________________________

 

Ausência e Permanência

 

Há uma rua nesta urbe,

Pulsante e muito febril;

Como um bicho ela se mexe;

Quadris em movimento,

Púbis de arvoredo;

Talvez tenha urgência

De alcançar o cósmico caminho.

 

Nossos passos traçam

A memória nas pedras

Na praça, se tem labuta da feira

As palmeiras indiferentes rumorejam

A balançar a cabeleira,

Acenam ao céu o torço verde,

Onde os deuses jogam cartas marcando

- Ausência e permanência -

E tecem nossos destinos

Nas folhas das palmeiras.

* Gladis Deble

 

___________________________________

 

Aleias de gerações em Palmeiras

 

Gerações nas aleias das palmeiras, gleba histórica sacode almas

Como ébano, mármore, bronze resistentes palmeiras nos corações

Ruas enluaradas na tua sombra escondida, palmeiras de minha terra,

Fileiras altaneiras de palmeiras rompem na manhã ensolarada

Entre alcatifas verdes, o ouro do sol, o anil no olhar do teu céu

Quais árvores da minha terra, espaço e tempo se entrelaçam

De Gonçalves Dias ao templo de palmeiras ao vento em Bagé.

* Ada Maria Machado Guimarães

 

____________

 

Nas palmeiras de Bagé

tremula a resistência de um povo

que não desiste nunca

* Sheila Correa

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...