ANO: 25 | Nº: 6334

Sidimar Rostan

sidimar_frostan@hotmail.com
Editor de política e comentarista da coluna Fogo Cruzado. Jornalista, é especialista em Comunicação e Política e subeditor geral do Jornal Minuano.
19/07/2017 Sidimar Rostan (Fogo cruzado)

Alceu Moreira vai assumir presidência da Frente Parlamentar do Carvão

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Peemedebista defende definição de posicionamento do governo federal
Peemedebista defende definição de posicionamento do governo federal

O deputado federal Alceu Moreira, do PMDB gaúcho, vai assumir a presidência da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Carvão Mineral no final de julho. O peemedebista substitui o senador Paulo Bauer, do PSDB de Santa Catarina, que comandou o colegiado desde a reinstalação, em 2015, diante do desafio de articular a criação de uma política pública para o setor. O debate envolve diretamente a região, que concentra as maiores reservas do País.
Moreira, aliás, tem relação estreita com o PMDB de Candiota. Na condição de liderança reconhecida pelos correligionários do município, sugeriu, ao Ministério de Minas e Energia, providências no sentido de solucionar divergências entre a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), no que se refere à compra de carvão mineral para o complexo termelétrico administrado pela empresa do grupo Eletrobras. A questão, aliás, deverá ser tratada como prioridade pelo parlamentar.
O peemedebista reconhece que é ‘inviável manter a CRM com os preços praticados pela CGTEE, que é a única cliente’. Moreira também deve se ocupar dos projetos estudados pelo governo do Estado, que busca autorização da Assembleia Legislativa para consultar a população, através de um plebiscito sobre a privatização da Companhia. A oferta de ativos, que inclui outras empresas públicas, representa uma garantia para a adesão à proposta de recuperação fiscal desenvolvida pela União.


Posse
O deputado adiantou, ontem, que deve cumprir agenda, em Criciúma, no sul de Santa Catarina, na próxima semana. O município representa um dos principais polos de mineração de carvão no Estado. A posse deve ocorrer no dia 31.


Questão política

Para Moreira, o debate sobre o desenvolvimento do setor ‘precisa sair da esfera dos empreendedores e migrar para o campo político’. “O governo precisa deixar mais clara a sua posição sobre a matriz. Ninguém se programa para investir em um país sem garantias; em um país que não sabe muito bem o rumo que vai adotar. E esta é uma questão essencialmente política”, avalia.
A Frente Parlamentar, na avaliação do peemedebista, deve intensificar o debate sobre a utilização de novas tecnologias. “Este é um tema central. Há um debate ideológico, muito centrado nas emissões de gás carbônico, mas precisamos deixar muito claro que existem alternativas para mitigação, que são soluções ambientais. O Brasil não pode abrir mão de uma matriz firme e segura, que fornece energia o ano inteiro, simplesmente pela pressão”, analisa.
A geração de emprego e renda também será mantida na pauta do colegiado. “Falamos de uma indústria que pode ser ainda mais desenvolvida em regiões economicamente deprimidas, a exemplo de Candiota. Com uma política clara, poderemos transformar o carvão no nosso ‘Pré-Sal’. Precisamos fazer com que a classe política perceba o potencial que já é reconhecido pela região”, enfatiza.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...