ANO: 23 | Nº: 5915
20/07/2017 Campo e Negócios

Sistema Farsul e Fundação Pró-Sementes apresentam resultado de ECR de Soja safra 2016/2017

Os resultados do Ensaio de Cultivares em Rede (ECR) de soja, safra 2016/2017, elaborado pela Fundação Pró-Sementes, em parceria com o Sistema Farsul e patrocínio do Senar-RS, foram apresentados na última terça-feira (18/07), na sede da Farsul. O levantamento aponta a importância do planejamento para implantação da lavoura de soja, onde a escolha da cultivar, associada à época de plantio e manejo, pode resultar em até R$ 1,6 mil a mais de receita por hectare.
Nesta safra, foram testadas 42 cultivares de soja, de sete obtentoras, em duas ou três épocas de semeadura, dependendo do local. Os dez locais escolhidos pela unidade de pesquisa da Fundação Pró-Sementes foram distribuídos por três regiões, representando os principais locais de produção de soja no Estado. Foram selecionados os municípios de Cachoeira do Sul, Não-Me-Toque, Passo Fundo, Santo Augusto, São Luiz Gonzaga, Bagé, Dom Pedrito, Manoel Viana, São Gabriel e Vacaria. Os experimentos são implantados e conduzidos de maneira uniforme em todos os locais, oferecendo ao produtor rural e à assistência técnica, informações idôneas das principais cultivares indicadas para cada região.
A gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da fundação, Kassiana Kehl, explica que as condições climáticas da última safra foram propícias para o desenvolvimento da cultura, alcançando altas produtividades na maioria dos locais. “Pela amplitude muito grande entre a máxima e mínima produtividade com o grande número de cultivares testadas, pode ser observada uma diferença de até 26 sacos de produtividade, e isso impacta muito no bolso do produtor” afirma. Ela orienta para que o produtor faça a escolha conforme a sua realidade na propriedade, analisando os resultados do ensaio.
O coordenador das comissões de Grãos da Farsul, Jorge Rodrigues, destacou que o ECR soja é uma ferramenta importantíssima para tomada de decisão do produtor. “Através dos resultados de avaliação de cada material, o produtor pode confirmar a melhor época de utilizá-lo e para aplicar na sua realidade em particular”. Rodrigues explica que cada vez mais o produtor precisa ter bastante cautela nos investimentos e escolher melhor as cultivares que irá utilizar, analisando as indicações das sementes e época de plantio, especialmente nas variações que têm dentro da mesma região.
Para o superintendente do Senar-RS, Gilmar Tietböhl, com o estudo que mostra o comportamento de algumas das variedades de sementes que estão disponíveis no mercado, a entidade ajuda o produtor na decisão.“Não falamos para o produtor qual semente ele deve utilizar, nós mostramos um trabalho com algumas sementes que estão no mercado, para que ele analise o desempenho delas e parta para sua decisão, o que é fundamental na gestão da lavoura”. Ele também falou sobre a atuação da entidade em todas as etapas de produção das principais culturas do Estado. “Nós temos cursos que orientam o plantio, manejo, operação e regulagem de máquinas, tudo para que o produtor tenha maior aproveitamento de seus insumos e equipamentos, com mínimo de perdas. Para todas as etapas, o Senar tem um curso que orienta o produtor como fazer”, informa.
Os resultados completos do estudo estão na publicação “Desempenho de Cultivares de Soja Indicadas para o Rio Grande do Sul – Safra 2016/2017” disponível no site www.farsul.org.br e na página da Fundação Pró-Sementes para o ECR: www.fundacaoprosementes.com.br. Interessados também poderão acessar o conteúdo na sede da Farsul e nos sindicatos rurais do interior.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...