ANO: 25 | Nº: 6236

Sidimar Rostan

sidimar_frostan@hotmail.com
Editor de política e comentarista da coluna Fogo Cruzado. Jornalista, é especialista em Comunicação e Política e subeditor geral do Jornal Minuano.
24/07/2017 Sidimar Rostan (Editorial)

Destino renovável

As fontes renováveis já respondem por mais de 43,5% da oferta de energia, no Brasil. O percentual, revelado pelo governo federal, atesta um cenário de expansão. Em apenas um ano, o indicador evoluiu 2,2 pontos, colocando o País na liderança das nações participantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. O desempenho é resultado do crescimento da participação das usinas eólicas. Ocorre que, com potencial para participar deste processo, ainda seguimos de fora.
A capacidade de geração dos municípios de Bagé e Dom Pedrito, por exemplo, já foi reconhecida pelo Atlas Geográfico do Rio Grande do Sul. A demanda também existe. O que falta é vontade política. Enquanto estados do Nordeste aproveitam o contexto, o Rio Grande do Sul ainda engatinha no desenvolvimento da biomassa, matrizes que também respondem por parcela importante do resultado nacional. Este modal é crucial e precisa integrar o rol de políticas públicas do governo de maneira mais efetiva.
O balanço oficial aponta no sentido da redução da geração de energia elétrica por fontes fósseis. Existe, aliás, a perspectiva da retração do consumo destes modais nos setores econômicos. Diante do esforço para reduzir as emissões de gases do efeito estufa, está na hora de repensar o setor carbonífero. Não se trata de abandonar uma vocação. O desafio está em encontrar uma alternativa para reduzir a dependência. A solução, neste sentido, passa inevitavelmente pela diversificação.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...