ANO: 25 | Nº: 6332

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
25/07/2017 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

Os três aspectos da fofoca

A fofoca é algo corriqueiro em nossa sociedade, sempre corrosiva e muitas vezes danosa além do esperado por seus artífices. Em tempos de grande exposição nas redes sociais e também da banalização da responsabilidade daquilo que se publica na internet, é sempre bom rever nossas posições. Vale a pena considerar que ocupar-se da vida alheia tem sempre três papéis centrais, saber disso e tomar a posição correta pode evitar problemas e alimentar uma consciência tranquila.

1. O fofoqueiro: nem sempre corresponde ao estereótipo. Muitas vezes é alguém que está num momento de pouca satisfação pessoal e deixa-se levar por uma motivação leviana. Ao invés de fazer algo por si mesmo para elevar sua autoestima prefere manipular a situação para que alguém a sua volta sinta-se tão mal quanto ele próprio. Este comportamento pode ser repetitivo conforme o grau de maturidade emocional e ética da pessoa, além, é claro, do quanto de atenção este indivíduo consegue atrair com essa atitude. Porém, na maioria das vezes, é apenas uma ação transitória em momentos em que o bem-estar dos outros parece salientar ainda mais a sua própria frustração.

2. O alvo: é qualquer pessoa que por algum motivo chamou a atenção de alguém que se encontra numa situação compatível com a descrita acima. Não há como se proteger. Todos estão suscetíveis. Apenas é possível se manter o mais consciente possível para não atuar em nenhum dos outros papéis, o fofoqueiro ou o alimentador.

3. O alimentador: assim como os outros lados envolvidos nesta trama corriqueira de nosso dia a dia, não se trata de um grupo isolado de pessoas, mas sim de um comportamento que qualquer um pode desempenhar quando a curiosidade e o interesse pela intimidade dos outros parece crescer mais que pelos próprios interesses. Da mesma forma que não existem corruptos sem corruptores. Muitas vezes as pessoas funcionam como alimentadoras de boatos e calúnias porque estão dando ao fofoqueiro o que ele mais quer: atenção e credibilidade, o que gera ainda mais confusão alimentando a eterna roda de atitudes baseadas em julgamentos equivocados e precipitados.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...