ANO: 24 | Nº: 5959
31/07/2017 Cidade

Fimp encerra com contagem regressiva para próxima edição

Foto: Antônio Rocha

Último concerto da oitava edição lotou complexo cultural do Museu Dom Diogo de Souza
Último concerto da oitava edição lotou complexo cultural do Museu Dom Diogo de Souza

A nostalgia marcou o encerramento do oitavo Festival Internacional Música no Pampa (Fimp). Após seis dias de muitas notas e acordes, que encheram de emoção o público bajeense, o último concerto, realizado no sábado, lotou o complexo cultural do Museu Dom Diogo de Souza.
Durante os seis dias do festival, mais de 2,5 mil pessoas prestigiaram o melhor da música erudita mundial, executada por músicos com carreiras internacionais: o maestro Jean Reis, Marcos Machado, Cármelo de Los Santos, Guigla Katsarava, Aldo Mata, Ney Fialkow, Ângela Diel e Renato Bandel. Os alunos também puderam ver de perto a experiência e a qualidade dos músicos nas oito oficinas ministradas durante o evento.
O diretor pedagógico e idealizador do evento, Marcos Machado, avaliou a edição como "um sucesso de público e organização". O músico disse que a cultura está sentindo as dificuldades do País e vários festivais e orquestras foram extintas. Na contramão deste processo, "Bagé abraçou o Fimp”, frisou.
Machado ressalta a qualidade da música e do público que prestigiou todos os dias de evento. Também informou que foram realizadas duas reuniões para debater alternativa de apoio ao Instituto Municipal de Belas Artes (Imba).
O tenor bajeense Flávio Leite foi uma das presenças no encerramento do festival. O cantor lírico que está há muitos anos longe da terra natal, confessou o orgulho de vivenciar pela primeira vez o espetáculo. “Vim prestigiar os colegas e conferir a excelente qualidade da música. Estou muito feliz”, relatou, ao adiantar que está em negociação com os produtores para participar da próxima edição.


Ampliação

O diretor artístico do Fimp, Jean Reis, afirma que o diferencial deste ano foi trazer uma programação intensa como uma prévia para a próxima edição, em que se pensa na ampliação do festival, com mais classes de instrumentos e canto e, também, com a possibilidade de levar os concertos para outros municípios da região do Pampa, como foi feito nesta edição, em Candiota.
O maestro também destacou a organização do Fimp e a receptividade das famílias. “Estamos com um número recorde de estudantes nesta edição, com muitos alunos representando outros estados e outros países e que foram muito bem recepcionados e acolhidos. A versatilidade é, definitivamente, o ponto alto desta edição”, garante.


Definição
A nona edição do Fimp já tem data confirmada. O Festival será realizado de 22 a 29 de julho de 2018. A intenção, inclusive, é contar com uma orquestra sinfônica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...