ANO: 25 | Nº: 6257
03/08/2017 Cidade

Terraplanagem de projeto de microgeração de energia deve iniciar no final do mês

Foto: Divulgação

Central será implantada na Vila Damé
Central será implantada na Vila Damé

O projeto piloto de geração compartilhada de energia elétrica, que será desenvolvido em Bagé, Porto Alegre, Pelotas e Dom Pedrito, deve iniciar no final do mês. A proposta está aguardando a liberação da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), que solicitou ajustes na proposta.
De acordo com o idealizador da proposta, José Carlos Goulart Ferreira (Caio), o projeto, que está sendo desenvolvido há um ano, irá gerar 75 quilowatts através de placas solares que serão implantadas no bairro Damé. “Nossa ideia é iniciar a terraplanagem na última semana de agosto e aguardar a liberação da CEEE para iniciar a obra”, disse Caio, que é técnico industrial.
Através de um consórcio serão compradas placas solares. Cada um dos integrantes adquire uma cota para obter os equipamentos. Segundo Caio, a microgeração deve ser distribuída através de central geradora de energia elétrica ou fontes renováveis, que são conectadas na rede de distribuição por meio de instalações de unidades, de acordo com regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
Os integrantes do consórcio, que serão os proprietários dos equipamentos, irão receber a compensação da energia produzida diretamente na conta de luz. “A microgeração pode diminuir em até 90% do valor”, ressaltou o idealizador. A intenção é iniciar a terraplanagem da área que vai abrigar a estrutura, em Bagé, até o final de agosto. “Nossa ideia era iniciar a obra este mês, mas ainda dependemos da liberação do projeto”, informou o técnico.


Valores

O investimento está estimado em R$ 819 mil. Cada consorciado deverá contribuir com cerca de R$ 10 mil, que pode ser financiado ou parcelado. Conforme Caio, para fins de compensação, a energia ativa injetada no sistema de distribuição pela unidade consumidora será cedida a título de empréstimo gratuito para a distribuidora, passando a unidade consumidora a ter um crédito em quantidade de energia ativa a ser consumida por um prazo de 60 dias.
O excedente de energia, que não tenha sido compensado, pode ser utilizado para compensar o consumo de outras unidades consumidoras. No sistema de consórcio, irão participar três pessoas de Porto Alegre, duas de Pelotas uma de Dom Pedrito e 24 de Bagé.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...