ANO: 25 | Nº: 6210

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
05/08/2017 Airton Gusmão (Opinião)

A transfiguração do senhor

E da nuvem uma voz dizia: “Este é o meu filho amado, no qual eu coloquei todo meu agrado. Escutai-o!” (Mt 17,5).
A festa da Transfiguração, originalmente celebrada no Oriente, foi estendida a toda a Igreja pelo Papa Calisto II. Que significado há para nossa vida cristã no evento da Transfiguração? A resposta encontramos na celebração do sacramento do Batismo.
No batismo somos configurados a Cristo como filhos amados de Deus; somos chamados a uma nova vida, imersos no Mistério Pascal de Cristo e, por isso, somos também herdeiros da sua herança. Aqui está o sentido da festa que celebramos neste final de semana.
Mateus coloca o evento da Transfiguração no contexto da caminhada de Jesus à Jerusalém, com os discípulos já cientes da sua Paixão. Jesus, percebendo a aflição destes, leva três discípulos ao monte e transfigura-se diante deles, manifestando a sua glória e confirmando os mistérios da fé. Todos nós, pelo batismo, também compartilhamos da herança do Senhor e, pela graça de Deus, esta glória também é reservada a todo cristão através de sua fidelidade ao Senhor. Assim, não devemos esquecer o convite de Deus aos discípulos e a todos nós: “Escutai Jesus, porque é o meu filho amado”! Esta palavra é importante para nós! Diante de tantos ruídos que a vida nos impõe, devemos saber “subir ao monte”, silenciar e escutar o que o Senhor nos fala, levar a sério as suas palavras e transmiti-la aos outros, assim como fizeram os discípulos que subiram ao Monte Tabor com Jesus. Escutar Jesus e dar a conhecê-Lo aos outros, esta é a missão que recebemos no batismo e o sentido da festa que celebramos, isto é, a partir da manifestação antecipada da glória do Senhor no Monte Tabor aos discípulos, a Igreja traz à luz toda a dimensão pascal e escatológica da vida cristã.
Neste mês de agosto, a Igreja convida a todos a refletirem sobre as vocações, em diferentes aspectos. Por estarmos vivendo no Brasil o Ano Nacional Mariano, o tema deste mês vocacional será dedicado a Nossa Senhora. Conforme o presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados da CNBB e arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, a escolha da temática se deu por Nossa Senhora ser exemplo de mulher de oração: “A oração é também o pedido que Nosso Senhor faz aos discípulos quando vê o tamanho da messe sem o número suficiente de pastores, a messe é grande, mas os operários são poucos”, explica.
Deste modo, recordando todos os carismas e ministérios presentes na Igreja, rezemos, neste mês vocacional, pelos padres, pelas famílias, pelos religiosos, leigos e leigas (catequistas, ministros, líderes de pastoral...), para que cada cristão saiba servir fielmente ao Senhor de acordo com o chamado que lhe foi confiado, na família, na comunidade eclesial e na sociedade.
Sejamos gratos a Deus pelos nossos padres neste final de semana em que celebramos o dia deles e rezemos sempre pelas vocações. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...