ANO: 23 | Nº: 5789
12/08/2017 Cidade

Hulha Negra mantém a melhor classificação regional no índice da Firjan

Foto: Reprodução JM

Cidade foi destaque nos indicadores gerais
Cidade foi destaque nos indicadores gerais

Pelo segundo ano consecutivo, Hulha Negra ocupou a melhor colocação, em âmbito regional, no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF). O município ficou com o primeiro lugar da região, na posição 188 do Estado e na colocação 1154º do País na pesquisa desenvolvida pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).
O levantamento tem como base informações do ano de referência 2016, avaliando a situação fiscal de 4544 municípios brasileiros, onde vivem 177,8 milhões de pessoas (87,5% da população brasileira). Não foram analisadas 1024 cidades que até 3 de julho deste ano não tinham seus balanços anuais disponíveis para consulta ou estavam com as informações inconsistentes.
Na região da Campanha, Hulha Negra é o principal destaque, com o índice de 0,5486 pontos. A cidade, porém, teve uma queda no indicador Gestão Fiscal, no comparativo com 2015, quando ocupou a posição 144, no Estado, e 830, no País. O prefeito de Hulha Negra, Renato Machado, do PP, afirma que a pesquisa é muito positiva para o município. O gestor disse que ainda não pode avaliar os dados, mas irá se manifestar posteriormente.
O IFGF é uma ferramenta de controle social, que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos.


Metodologia
A pesquisa é composta por cinco indicadores (receita própria, gastos com pessoal, investimentos, liquidez e custo da dívida). O IFGF tem uma metodologia que permite tanto comparação relativa quanto absoluta, isto é, o índice não se restringe a uma fotografia anual, podendo ser comparado ao longo dos anos. Dessa forma é possível especificar, com precisão, se uma melhoria relativa de posição em um ranking se deve a fatores específicos de um determinado município ou à piora relativa dos demais.
De leitura simples, o índice varia de zero (mínimo) a um ponto (máximo) para classificar o nível de cada localidade em quatro categorias: gestão critica (de zero a 0,4), em dificuldade (0,4 a 0,6), boa (de 0,6 a 0,8) de excelência (0,8 a 1) desenvolvimento. Ou seja, quanto mais próximo de um, melhor a gestão fiscal do município no ano em observação.


Situação
Entre os municípios da região, Candiota ficou no segundo lugar, com o índice de 0,4479. Aceguá ficou com a terceira colocação, com 0,4868, e Bagé com a última posição, registrando índice de 0,4113.
Em relação à receita própria, Candiota teve a melhor classificação, com a gestão considerada de excelência. Em escala estadual, a cidade ocupa a 10ª posição, enquanto na nacional, chega a 120º. No mesmo indicador, a segunda melhor classificação foi de Bagé. A Rainha da Fronteira alcançou a posição 121º, no índice estadual, e a 12º colocação, em nível nacional. Já Hulha Negra obteve a posição 236, no Estado, e 1666º, no Brasil. Em último lugar está Aceguá, que ocupa a posição 335, no ranking estadual, e 2321 no nacional.


Gastos com pessoal
Candiota teve o melhor índice da região na área de gastos com pessoal, com 0,6104 pontos, ocupando a posição 279 no Rio Grande do Sul e a colocação 1319 no Brasil. Aceguá vem a seguir, em 444º, no Estado, e 3375º, no País. Hulha Negra ficou com a terceira colocação, com a posição 458, no Rio Grande do Sul, e 3.679, no País. Bagé aparece no final do ranking, na 472º colocação, no Estado, e 3.970, na esfera federal.


Investimentos
Nos indicadores de investimentos, a melhor colocação foi de Hulha Negra, que ocupa a 247ª colocação, no estado, e 2.242ª, na esfera federal. Aceguá obteve a colocação 344, no Estado, e 3351, no País. Candiota ocupou a 422ª colocação, entre os municípios gaúchos, e a 3882ª, no País. Bagé aparece em último lugar, com a posição 431, no Estado, e 3983, na esfera federal.

Liquidez
A melhor avaliação no tema liquidez foi de Hulha Negra. O município ocupa o 76º lugar, no estado, e 513º no País, com a média de 0,9839, considerada de excelência. Aceguá aparece na sequência, na 95ª colocação, no Rio Grande do Sul, e 700ª, no Brasil. Bagé ocupa a 2442º colocação, no País, e a 318ª em solo gaúcho. Em último está Candiota, com a posição 446, no estado, e 3.830 no país.


Custo da dívida

Neste indicador, Aceguá obteve os primeiros lugares, tanto no Estado, como na União, com índice de 1,0000. Hulha Negra ocupou a posição 233, em solo gaúcho, e 1600, no nacional. Candiota ficou com a colocação 2269, no País, e 293, no Estado. Em último está Bagé, com a posição 421, entre os municípios gaúchos, e 3620, no ranking nacional.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...