ANO: 23 | Nº: 5789

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
12/08/2017 Airton Gusmão (Opinião)

O bem da família é decisivo para o mundo e a Igreja

Diante das ondas agitadas e os ventos contrários do mundo, da cultura e da sociedade, presentes através das mudanças de época, que afetam os critérios de compreensão e os valores mais profundos; talvez sejamos levados a desanimar, a não acreditar nos valores humanos e cristãos, na beleza e importância sempre atual da vida e missão da família. Jesus Cristo, que veio até nós através da Família de Nazaré, continua presente em meio às realidades humanas, nos dizendo com certeza: “Coragem, sou eu. Não tenhais medo! Não sejam fracos na fé, não duvidem” (Mt 14,22-23).
Estamos vivendo e celebrando, dentro do mês das Vocações, neste domingo, 13 de agosto, dia dos nossos pais e, até o próximo dia 20 do corrente, a Semana Nacional da Família, que tem como tema: “Família, uma luz para a vida em sociedade” e Lema: ”Vós sois a luz do mundo” (Mt 5,14).
É importante lembrar duas frases do Papa Francisco em sua Exortação apostólica sobre o Amor na família: “Todos somos chamados a cuidar com amor da vida das famílias, porque elas não são um problema, são sobretudo, uma oportunidade. O bem da família é decisivo para o futuro do mundo e da Igreja”( nº 07 e 31).
Sempre é saudável, conforme nos orienta a Igreja, lembrar qual é a finalidade e missão da família: a família, patrimônio da humanidade, constitui um dos tesouros dos povos latino-americanos e caribenhos. Ela tem sido e é escola da fé, palestra de valores humanos e cívicos, lar em que a vida humana nasce e se acolhe generosa e responsavelmente. A família é insubstituível para a serenidade pessoal e para a educação de seus filhos (Documento de Aparecida, nº 114).
O folheto elaborado pela pastoral familiar do Rio Grande do Sul apresenta três pequenas, mas profundas reflexões para esta semana da família: viver a experiência do amor divino em família; viver a alegria da misericórdia em comunidade, e viver a missão de ser luz na sociedade. Que bom que muitas famílias pudessem conversar sobre estas indicações práticas.
Sobre a terceira é importante destacar que a família tem por missão gerar e cultivar a vida, num empenho constante de educar o ser humano para a vida espiritual e social. Ela cumpre a sua missão de cooperar com a obra divina de gerar o homem e de zelar pelo seu convívio na sociedade, pois os elementos mais importantes que compõem a personalidade de uma pessoa são construídos na convivência familiar. A família não é apenas o núcleo básico da sociedade, mas é também o ambiente onde se aprende a ser gente. E esta missão tem suas raízes no Batismo, através dos dons oferecidos por Deus, e que se estendem até o entardecer da vida.
A encarnação do Filho de Deus abre um novo início na história universal do homem e da mulher. E esse novo início tem lugar no seio de uma família, em Nazaré. Jesus nasceu em uma família. Assim, a família de Nazaré compromete-nos a redescobrir a vocação e missão da família, de cada família, ou seja, fazer com que o amor se torne normal, e não o ódio, fazer com que a entreajuda se torne comum, não a indiferença ou a inimizade, para que ela continue sendo santuário da vida e Igreja doméstica.
Cuidemos, valorizemos e respeitemos as nossas famílias. Parabéns a todos os pais pelo seu dia, e rezemos pelos pais falecidos que já partiram para a casa de Deus Pai. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...