ANO: 24 | Nº: 6039

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
19/08/2017 Airton Gusmão (Opinião)

Maria, estrela da nova evangelização

“Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu” (Lc 1,45).
Celebramos, neste final de semana, a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora. Neste dogma mariano a Igreja afirma que Maria foi elevada ao céu em corpo e alma; assim ela recebeu por antecipação a alegria de estar integralmente como pessoa na glória de Deus; alegria esta que todos nós também receberemos no dia do Senhor. Desta forma, a Virgem Maria é para todos nós esperança segura e demonstração clara da escritura que diz: “Se morremos com ele, seremos também glorificados com ele” (Rm 8,17).
O Evangelho meditado nesta Solenidade da Assunção é o episódio da visita de Maria a Isabel, narrado em Lc 1,39-56. Maria sai, apressadamente, ao encontro de sua prima Isabel, num gesto de serviço e humildade. No final da sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, o Papa Francisco descreveu Maria como “modelo eclesial para a evangelização” (EG, n.288); porque ela soube, não somente, contemplar o mistério de Deus no mundo, na história, na vida diária das pessoas, mas também sair de si mesma e ir ao encontro das pessoas, como fez na sua visita a Isabel.
De fato, Maria nos ensina que ir ao encontro do outro para servir, para ser presença de Deus, é algo que preenche a nossa vida de alegria e de esperança; estes gestos devem estar sempre presentes na nossa vida eclesial. Quantas vezes fizemos essa experiência de visitar alguém que se encontra enfermo, com alguma dificuldade ou até mesmo por estarmos com saudade de uma pessoa e, quando voltamos desta visita, retornamos melhores, com mais vida, porque fizemos a bonita experiência do encontro. Maria foi a mulher do serviço e do encontro e, por isso, soube renovar na sua vida, através destes simples gestos, a promessa do Senhor: “Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor”. (Lc 1,48-49). O Senhor faz grandes coisas em nosso favor quando nos dispomos, a exemplo de Maria, a servir e ir ao encontro daqueles que precisam da mensagem libertadora e salvadora de Deus.
Neste terceiro domingo de agosto lembramos a vocação à vida religiosa. Queremos agradecer ao Senhor o dom da vocação à vida consagrada, reconhecendo o bem que tantos consagrados e consagradas tem realizado em vários setores da vida social e eclesial e, de modo especial, na nossa Diocese de Bagé. Que a exemplo de Maria, os consagrados e consagradas sejam fortalecidos na sua alegre missão de levar a todos a consolação de Deus.
“(...) Maria, mulher da ação, fazei que as nossas mãos e os nossos pés se movam ‘depressa’ em direção aos outros, para que possamos levar-lhes a caridade e o amor do vosso Filho Jesus; para levarmos, como vós, ao mundo a luz do Evangelho. Amém”. (Papa Francisco).
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...