ANO: 25 | Nº: 6330
24/08/2017 Cidade

Conferência Municipal discute demandas da vigilância em saúde

Foto: Tiago Rolim de Moura

A primeira Conferência Municipal de Vigilância em Saúde aconteceu, ontem, no plenário da Câmara de Vereadores de Bagé. Durante a manhã e tarde, profissionais da área e a comunidade interessada presenciaram palestras e oficinas dentro da temática geral “A política nacional de vigilância em saúde”, tendo como temas em destaque o fortalecimento dos serviços do Sistema Únicos de Saúde (SUS) e a ampliação de programas e ações de vigilância em saúde.
O evento é organizado pelo Conselho Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e Atenção à Pessoa Com Deficiência, e a 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (7ª CRS). O responsável pela mediação foi o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Émerson Rodrigues da Silva.
A manhã de apresentações iniciou com as palavras da coordenadora do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), Loiva Schardosim, sobre o funcionamento dos serviços realizados pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde.
Em seguida, o coordenador de Vigilância em Saúde de Bagé, Marcelo Fernandes, discursou sobre os procedimentos dos eixos que formam o órgão municipal, destacando seus pontos fortes e fracos, com foco na vigilância sanitária e ambiental. Segundo Fernandes, mesmo com falta de estrutura física e mão de obra, a Vigilância em Saúde está fazendo o possível para atender a população.
O coordenador informa que, atualmente, uma das maiores preocupações do órgão é atuar pela prevenção contra a dengue. Até o momento, foram confirmados 244 focos da doença no município. Fernandes relata que os profissionais da vigilância em saúde continuam a enfrentar casos de rejeição à pesquisa, vindos principalmente das classes média e alta.
A conferência também contou com palestra ministrada pela coordenadora de Bioestatística e Epidemiologia da Secretaria de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, Sheila Tavares. À tarde, os palestrantes foram o coordenador da Agroambiental, Fernando Campani, a coordenadora macroregional do Cerest em Pelotas, Maristela Irazoqui, e o presidente do Conselho Gestor do Cerest Macrosul, Gilson Lemos de Paula.
Após o período de palestras, os especialistas ministraram oficinas com foco em cada um dos quatro eixos de atuação da vigilância em saúde: vigilância sanitária, epidemiológica, ambiental e a saúde do trabalhador. Os resultados dos trabalhos foram reunidos em um documento com as principais demandas discutidas para serem entregues ao município. Durante a conferência, foram eleitos os delegados que participarão da 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, que ocorrerá de 6 a 8 de outubro, em Porto Alegre.

Novo coordenador
Na ocasião, também foi apresentado o novo coordenador da Vigilância em Saúde do Trabalhador, Luiz Cláudio Vargas Etcheverry. Com mais de 30 anos na área, esta é a segunda vez que Etcheverry assume o cargo. O servidor afirma que entre suas metas para esta gestão, estão a capacitação dos postos de saúde, um melhor controle e  orientação de empresas com casos de acidentes, a criação de grupos de trabalho com sindicatos, a convergência com instituições públicas e a saúde do trabalhador.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...