ANO: 24 | Nº: 6182
28/08/2017 Editorial

Algo de positivo na questão do sangue

O município de Bagé tem registrado um grande esforço para aumentar sua lista de doadores de sangue, cujo trabalho de coleta já se realizou a partir das unidades móveis do Hemocentro de Pelotas e em várias instituições de saúde local. A Coordenadoria Regional de Saúde do Estado tem buscado várias fórmulas para mobilizar novos doadores desde que a coleta do Hemocentro de Bagé foi alterada para o Hemopel em 2013. O conjunto de resultados do último final de semana acena com uma boa perspectiva para o serviço tão essencial às atividades de saúde de Bagé.

Desde que o banco de sangue local cedeu espaço para a regionalização, as coletas feitas, em Bagé, sofriam com índices de insuficiência, na comparação com a demanda média necessária. Por isso, foram testadas várias alternativas para aumentar a presença de doadores nas campanhas, como alteração nas datas das doações, locais e do estilo das mobilizações. Ao longo do tempo, a comunidade foi recebendo os estímulos e demonstrou iniciativas que agora parecem estar auxiliando os poderes públicos estaduais e municipais a aumentar a expectativa de regularizar um volume de bolsas de sangue exigidas para o atendimento da cidade no rol de municípios reunidos sob a responsabilidade do Hemocentro de Pelotas.

O maior exemplo dessa mudança positiva aconteceu no último final de semana, quando pelo menos dois grupos mobilizados pela iniciativa da comunidade fizeram a diferença na campanha de coleta de sangue. A perspectiva geral dos técnicos responsáveis pelo serviço é coletar algo em torno de cem bolsas na cidade a cada data mensal cumprida. As últimas duas campanhas locais, realizadas no Posto PAM I resultaram em 112 e 117 bolsas respectivamente. O diferencial, entretanto tem sido a maneira humanizada de encarar o atendimento a partir da participação de estudantes mobilizados em escolas como o Estadual e de projetos de voluntários como o grupo Alegria sem Fronteiras. As duas iniciativas atraem a atenção para a necessidade de doações de sangue, mas acima de tudo, traduzem o esforço em uma atitude positiva e prazerosa. Um exemplo de como a sociedade pode atuar positivamente nos problemas de saúde pública.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...