ANO: 25 | Nº: 6258
29/08/2017 Campo e Negócios

Irga define data para abertura oficial da colheita do arroz

Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Governador participou da solenidade
Governador participou da solenidade

As lavouras gaúchas são responsáveis por 70% de todo o arroz produzido no País. Ontem, produtores e autoridades estiveram reunidos na Expointer para o lançamento da 28ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, que acontecerá entre os dias 21 e 23 de fevereiro de 2018, na Estação Experimental do Arroz do  Instituto Rio Grandense do Arroz (EEA/Irga), em Cachoeirinha. A convite do Irga e da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), o governador José Ivo Sartori participou do almoço, na Casa do Irga, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

O Rio Grande do Sul planta, em média, 1,1 milhão de hectares de arroz e a produção anual é de mais de oito milhões de toneladas. A safra 2016/2017 colheu 8.742.256 milhões de toneladas do grão. No Estado, são aproximadamente 12 mil produtores que geram cerca de 25 mil empregos diretos nas lavouras. A produção movimenta R$ 6,2 bilhões na economia do Rio Grande do Sul, anualmente.
Sartori ressaltou que a cultura do arroz é importante para a economia gaúcha, por isso a necessidade de valorizar e reconhecer o setor. "É preciso apoiar e exaltar quem trabalha na lavoura, de sol a sol, todos os dias. Nossa maior riqueza são as pessoas”, disse.
O governador destacou que, apesar das dificuldades do setor, a qualidade do nosso arroz é boa, e que os produtores precisam buscar, cada vez mais, uma gestão qualificada e sustentável. O momento de travessia que o Estado passa foi lembrado por Sartori, que afirmou que as medidas para modernização são construções necessárias para o futuro das gerações.
Para o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, a abertura da colheita é importante para o setor avançar e evoluir. Ele lembrou que o governo do Estado é parceiro dos arrozeiros. "Nossa produção é muito particular. Estamos aqui buscando fazer o possível e construir soluções conjuntas com todo o setor", enfatizou.
O presidente do Irga, Guinter Frantz, falou que a entidade trabalha sempre a favor dos produtores, buscando soluções para as dificuldades enfrentadas nas lavouras gaúchas. "Nosso arroz tem qualidade. Precisamos aumentar o consumo interno e a nossa exportação", disse, ressaltando que o setor tem potencial para aumentar a produtividade.
Segundo o vice-presidente da Federarroz, Alexandre Velho, o evento de abertura da colheita é para dar condições aos produtores de uma gestão mais qualificada, buscando sempre a sustentabilidade. O seguro-produção e o seguro-renda foram citados por Velho como os principais pleitos da entidade em prol da cadeia produtiva.
O vice-presidente afirmou ao governador que a lavoura gaúcha é responsável pela segurança alimentar do Brasil, tendo em vista que o Rio Grande do Sul produz 70% do arroz do País.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...