ANO: 25 | Nº: 6209
30/08/2017 Campo e Negócios

"O Futuro da Terra" reconhece importância de pesquisadores gaúchos

O prêmio O Futuro da Terra prestou homenagens, na noite de segunda-feira, 28, aos pesquisadores e entidades que deram contribuições importantes ao desenvolvimento da ciência aplicada ao agronegócio, inovação e sustentabilidade. O troféu, que está em sua 21ª edição, é promovido pelo Jornal do Comércio em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e apoio da Farsul e Bradesco.
A distinção foi entregue no auditório da Casa da Farsul, no Parque de Exposições Assis Brasil, a 12 homenageados, divididos em quatro categorias. O prêmio especial foi concedido ao pesquisador Luiz Carlos Federizzi, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor da Faculdade de Agronomia, Federizzi lidera o Programa de Melhoramento Genético de Aveia, que trabalha no desenvolvimento de sementes adaptadas às regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o que resultou em um salto de produtividade desta cultura.
Na categoria cadeias de produção, os premiados foram a Aproccima, Geovano Parcianello, do Irga e Jorge Tonietto, da Embrapa. Na categoria inovação, tecnologia rural e empreendedorismo, foram homenageados Júlio Otávio Jardim Barcellos, da UFRGS, o Serviço de Inteligência do Agronegócio, o pesquisador Homero Bergamaschi, da UFRGS, Maria do Carmo Bassols Raseira, da Embrapa e Antônio Folgiarini de Rosso, do Irga.
Também foi realizada uma premiação na categoria preservação ambiental, que homenageou Cimélio Bayer, da UFRGS, a Alianza del Pastizal – BirdLife International, e Flávia Fontana Fernandes, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).
O vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira, representou o presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, no evento e recebeu uma placa em reconhecimento aos 90 anos da Farsul e aos 20 anos em que Sperotto está à frente da federação. Pereira relembrou o salto de desenvolvimento dado pela agropecuária brasileira nas últimas décadas e o papel das lutas políticas da Farsul e do incentivo à pesquisa nesta trajetória. “O que nós fazemos não é nada mais nada menos do que uma epopeia, que o povo gaúcho e brasileiro têm levado a efeito e surpreendido o mundo. Em 30 anos, passamos de grandes importadores a grandes exportadores”, ressaltou.
O governador José Ivo Sartori participou da entrega de prêmios e destacou o potencial de inovação tecnológica do Rio Grande do Sul, que conta com universidades e parques tecnológicos. Além disso, reconheceu a importância de manter incentivos à pesquisa, apesar dos obstáculos financeiros.
O diretor-presidente do Jornal do Comércio, Mércio Tumelero, reiterou a importância dos pesquisadores para o crescimento do agronegócio no Brasil, que aumentou sua produtividade em 141% nos últimos 20 anos: “O desenvolvimento da pesquisa foi responsável pela transformação do agronegócio brasileiro num dos mais competitivos do mundo. Isso tudo demonstra a importância do prêmio O Futuro da Terra, criado há 21 anos pelo Jornal do Comércio como um incentivo a todos os que se dedicam ao desenvolvimento de pesquisas voltadas para o meio agropecuário, disse”
A seleção dos premiados é feita pelo Comitê de Ciências Agrárias da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), a partir de critérios técnicos que identificam pesquisas direcionadas para o desempenho do agronegócio gaúcho, considerando aspectos como a eficiência e a sustentabilidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...