ANO: 24 | Nº: 6109
01/09/2017 Cidade

Santa Casa de Bagé pode ter repasses de incentivo cortados pelo Estado

Foto: Tiago Rolim de Moura

Instituição ainda depende de vistoria do setor de vigilância sanitária
Instituição ainda depende de vistoria do setor de vigilância sanitária

O prazo para a Santa Casa de Caridade de Bagé renovar o contrato com o governo do Estado encerrou ontem. A instituição, porém, ainda depende da vistoria do setor de vigilância sanitária da sétima Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), que está realizando o laudo para emitir o documento. Devido a essa situação, o hospital pode ter os repasses de incentivo cortados pelo Estado. Isso representa cerca de R$ 1,2 milhão no orçamento mensal da instituição.
O médico e provedor da Santa Casa, Airton Lacerda, alerta para o risco de fechamento do hospital, visto que não há como cumprir os compromissos financeiros. “Estamos com a folha médica em atraso desde maio”, disse.
Segundo o provedor, a documentação para a renovação do contrato foi entregue no dia 3 de agosto para o Estado, e, após essa data, foi realizada uma reunião com o vice-governador, José Cairoli, e o secretário adjunto da Saúde, Francisco Paz, onde foram liberados R$ 1,6 mil em recursos do primeiro trimestre, que estavam atrasados. O médico informa que nessa semana a instituição deve receber mais R$ 700 mil de incentivos. O novo contrato, ainda segundo Lacerda, deve ser com o mesmo valor do ano passado, totalizando R$ 3,2 milhões.
Além do alvará sanitário, a Santa Casa necessita da liberação do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). O Corpo de Bombeiros solicitou algumas modificações no prédio para liberar o documento. A instituição de saúde assinou um termo circunstanciado, se comprometendo a realizar a obra. A situação também está sob análise da Secretaria da Saúde.


Vistoria

De acordo com o titular da sétima CRS, Daltro Paiva, a vistoria está sendo realizada há vários dias. Para cada setor analisado é realizado um laudo. “No final da inspeção é emitido o alvará, que será encaminhado à Secretaria de Saúde”, frisa.
Paiva informa que já havia alertado a direção da instituição sobre os prazos para a contratualização e inspeção do hospital em maio. Ele ressalta que o relatório final deve ser concluído somente na próxima semana.
O coordenador também diz que a CRS precisou auxiliar na confecção do modelo de contrato, porque a instituição estava com dificuldades de realizar o documento. “Sem o contrato, a Santa Casa não recebe parte dos recursos”, enfatiza.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...