ANO: 25 | Nº: 6354

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
02/09/2017 Airton Gusmão (Opinião)

A Palavra nos indica o caminho

Neste mês de setembro lembramos a memória de São Jerônimo, um dos grandes santos da Igreja. Com enorme zelo pela Sagrada Escritura, ele recebeu do Papa Dâmaso I vários encargos, entre eles, o de fazer a revisão do texto latino do Novo Testamento e a tradução do Antigo Testamento para o latim. Essa tradução é até hoje a mais conhecida, sendo chamada de Vulgata.
Entre os grandes ensinamentos desse santo, destaca-se a sua frase, ao comentar o livro do Profeta Isaías: “Ignorar as Escrituras, é ignorar a Cristo”, ou seja, a Sagrada Escritura, escrita por inspiração do Espírito Santo, é, juntamente à Tradição, fonte da ação evangelizadora da Igreja e lugar de encontro com o Senhor. Quantas pessoas nas nossas comunidades seguem um Jesus de sua imaginação e não o Jesus verdadeiro que só descobrimos a partir da leitura atenta dos evangelhos?
Conforme o Documento de Aparecida: “Desconhecer a Escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo” (D.Ap, n.247). Desta forma, a Igreja deve ser cada vez mais a comunidade da escuta e do anúncio da Palavra de Deus, a comunidade que tem os olhos fixos no Senhor e que busca no Evangelho a orientação para o seu caminho.
Na liturgia da Palavra deste domingo, o evangelista São Mateus nos recorda que São Pedro também precisou ser “refeito” a partir da escuta da Palavra do Senhor. Ele também precisou crescer na compreensão do mistério de Cristo. Depois de Jesus revelar aos discípulos o mistério da sua Paixão, Morte e Ressurreição, São Pedro repreende-o dizendo que Deus não poderia permitir tal coisa. Jesus o chama de Satanás porque ele não pensava as coisas de Deus, mas as coisas humanas. São Pedro tinha ainda uma visão por demais cultural e judaica, não havia percebido a novidade da dinâmica do amor de Deus dispensado a todos, que se revelaria no mistério pascal de seu Filho.
De fato, os discípulos eram os mais próximos de Jesus e mesmo assim tiveram dificuldade para entender o projeto de amor de Deus. Isto nos faz refletir que, mesmo participando ativamente da vida eclesial, podemos ainda estar longe de Deus no sentido que não nos deixamos moldar por Ele. São Pedro teve a grande capacidade de ser dócil às sugestões do Espírito Santo, soube acolher com humildade aquilo que o Espírito Santo lhe inspirava. Isto nem sempre é fácil. Quantas vezes seguimos mais as nossas ideias, nossos preconceitos, e não permitimos que o Espírito Santo nos conduza no caminho do Evangelho. É uma pergunta que precisamos nos fazer: deixamos nossa vida ser escrita, ser conduzida por Deus ou por nós mesmos? Somos capazes de ouvir e acolher a Palavra do Senhor num processo de conversão e de seguimento a Jesus como fez o apóstolo São Pedro?
Precisamos neste mês de setembro, mês da Bíblia, pedir este dom a Deus da recepção, da docilidade ao Espírito Santo que inspirou a Sagrada Escritura e que nos ajuda a recordar tudo o que Jesus realizou. O tema do mês da Bíblia deste ano é: “Para que n´Ele nossos povos tenham vida” e o lema: “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (cf. 1Ts 2,8). Em meio a tantos barulhos e ruídos que somos obrigados a conviver, que saibamos, neste mês, ouvir, rezar e meditar aquela Palavra que nos deu a vida e que se encarnou e habitou entre nós para nos fazer participar da vida divina. “A todos que O receberam, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus” (Jo 1,12). Uma boa dica que o Papa Francisco nos dá é esta: ter sempre a Sagrada Escritura consigo e fazer o compromisso de ler ao menos um trecho do Evangelho por dia. Assim, crescemos no conhecimento do Evangelho e também de Jesus Cristo.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...