ANO: 24 | Nº: 6084
07/09/2017 Cidade

Acadêmicos de Sistemas de Informação da Urcamp criam aplicativo para pessoas com mobilidade reduzida

Foto: Claudenir Munhoz

Aplicativo é direcionado a pacientes que sofreram AVC
Aplicativo é direcionado a pacientes que sofreram AVC

O curso de Sistemas de Informação da Universidade da Região da Campanha (Urcamp) vai estar representado pelos acadêmicos Denizar de Souza, Márcia Cristina Domingues, Leonardo Spuldar, Wilham Marques e Maiko Juliano Goularte no sétimo Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). O evento acontece em outubro, na cidade de Tapes. Dois trabalhos foram encaminhados e aprovados para a apresentação no congresso.

As produções fazem parte de dois projetos, sendo um de pesquisa e outro de extensão, coordenados pelo professor Fábio Josende Paz e colaboração da coordenadora do curso, Maria Elaine Leon e professora Paula Silveira.

O projeto “Rede de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva” visa estudar de que forma a tecnologia pode se aliar para contribuir na detecção de doenças e na recuperação de pacientes que sofreram, por exemplo, algum derrame ou acidente vascular. O trabalho “Protótipo de aplicativo para auxiliar pessoas com deficiência motora e de comunicação” será apresentado na iniciação científica e visa mostrar que metodologias tecnológicas poderão ajudar nestes casos.

Já por meio do projeto de extensão “Fábrica de Software do Pampa”, os discentes desenvolveram o trabalho “Aplicação da usabilidade no desenvolvimento de um aplicativo móvel para pessoas com mobilidade reduzida”, quando colocaram em prática os conceitos de usabilidade no desenvolvimento de um aplicativo móvel para pessoas com mobilidade reduzida.

Com isso, o grupo utilizou a criação de protótipos de tela, na qual permitiu a implantação de um layout rápido e funcional. O aplicativo tem como público-alvo os pacientes vítimas de acidente vascular cerebral (AVC). Segundo os acadêmicos, a função do aplicativo é possibilitar que os pacientes se comuniquem com seus cuidadores através de ícones que representam necessidades básicas do dia a dia. Com apenas um toque na tela do smartphone, eles poderão solicitar água, alimento, uso do banheiro, entre outros.

Para Fábio Paz, a participação em eventos deste porte é importante para os alunos, pois eles podem apresentar suas produções e trocar experiências com outros pesquisadores. “Estes trabalhos contaram com o financiamento da Urcamp, através da Pró-Reitoria de Inovação, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (Proippex), por meio de bolsa de iniciação científica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...