ANO: 24 | Nº: 6137
07/09/2017 Fogo cruzado

PGR arquiva denúncia contra Hamm na Lava Jato

Foto: Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados

Progressista adianta que está preparado para intensificar debates sobre projetos
Progressista adianta que está preparado para intensificar debates sobre projetos

O deputado federal Afonso Hamm, do PP, não é mais alvo da Operação Lava Jato. A denúncia contra o progressista foi arquivada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que não encontrou elementos comprovando participação do progressista em irregularidades envolvendo a investigação do esquema de corrupção na Petrobras.
Hamm chegou a ser investigado pela PGR. Ele foi incluído em uma lista enviada pela Procuradoria-Geral ao Supremo Tribunal Federal (STF), em março de 2015, com o pedido de abertura de inquéritos para investigar pessoas citadas em depoimentos da Operação Lava Jato. A conjuntura mudou na semana passada.
O inquérito remetido ao STF, no dia 1º, manteve a denúncia contra o deputado gaúcho José Otávio Germano, contra o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro, da Paraíba, e o senador e presidente nacional do PP, Ciro Nogueira Filho, do Piauí, que responderão por organização criminosa. A nova lista, porém, só foi detalhada na terça-feira, 5, excluindo Hamm da investigação.
Os deputados gaúchos Luis Carlos Heinze, Jerônimo Goergen, Renato Molling e o ex-deputado Vilson Covatti, todos do PP, também ficaram de fora do novo inquérito encaminhado ao Supremo. Hamm se manifestou através de comunicado oficial, comemorando o arquivamento. “Recebo com muita serenidade a notícia de que não sou mais investigado no âmbito da Operação Lava Jato”, pontua.
Para o único representante da região no Congresso nacional, o pedido de arquivamento do procurador-geral da República encerra um dos momentos mais difíceis da sua trajetória política. “Nesses mais de dois anos, nunca deixei de acreditar nas instituições e na Justiça brasileira. Também não faltou força para trabalhar e seguir adiante, confiando que a verdade prevaleceria”, define Hamm.
O progressista destaca que, desde a citação na primeira lista, manteve a atuação parlamentar, avançando em pautas estratégicas, a exemplo da legislação que estabeleceu punições para o abigeato. “Tive serenidade e muito apoio. Sempre pautei meu trabalho pela ética”, enfatiza, ao confessar que se sente aliviado com o arquivamento da denúncia. “Estou muito feliz. Preparado para intensificar os debates sobre projetos que defendemos no Congresso”, reforça.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...