ANO: 23 | Nº: 5791

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
11/09/2017 Caderno Minuano Saúde

Humanização no tratamento hospitalar

Foto: Tiago Rolim de Moura

Capa
Capa

A modernidade é algo que está presente no Hospital Universitário Mário Araújo, que é mantido pela Fundação Attila Taborda (FAT) mantenedora da Universidade da Região da Campanha (Urcamp).

Desde sua retomada, o HU propõe várias novidades para toda comunidade. O hospital oferece serviços particulares, conveniados e através do Sistema Único de Saúde. Possui novos ambulatórios, prontuários eletrônicos, tratamentos psicológicos, nutricionais e farmacêuticos, disponibilizando medicamentos com códigos de barra para cada paciente. Os leitos foram modernizados e foram instalados televisores em todos quartos.

O HU se renova em um momento que Bagé precisa de apoio e atenção na saúde. 

Nesta edição, a diretoria do Hospital Universitário descreve o funcionamento das atividades, explica como podem ser encaminhados pacientes e antecipa novidades nos tratamentos, convênio com a Prefeitura de Bagé e tecnologias. 



Um hospital para todos

"Todos pacientes, encaminhados por pedidos de internação de médico particular, convênios, rede municipal de saúde, Santa Casa de Caridade de Bagé, pronto-socorro e Unidade de Pronto Atendimento (Upa) serão recebidos no HU", destaca o diretor técnico, médico Henry Ritta. 

O Hospital Universitário conta com 11 leitos destinados a particulares e convênios, 39 leitos para o SUS, três ambulatórios/consultórios e um ambulatório de enfermagem.  "Os novos consultórios são para uso dos médicos particulares e de convênios", contou o médico. Ritta destaca que os novos ambulatórios podem ser alugados para os médicos que tiverem interesse em trabalhar no local. Já o ambulatório de enfermagem serve para atendimentos de consultas, aplicação de injeção, troca de sondas e serviços de enfermagem. O HU conta ainda com farmácia, cozinha de produção nutricional, psicologia e fisioterapia. 

Outra novidade destacada pelo médico Henry Ritta é o prontuário eletrônico. "É o primeiro hospital da região que usa esta tecnologia, tudo fica no sistema e padroniza o atendimento. O material utilizado em cada procedimento é lançado no prontuário e todos têm acesso para saber o que está sendo feito com cada paciente", complementa. 

Também há a rastreabilidade medicamentosa por código de barra, um critério de segurança para cada paciente, ressalta o médico. "A Farmácia dispensa cada medicamento com código de barra, então não há perigo de repetição de doses e também de má utilização de remédios", analisa. 

O Data Center também é um novo incremento. "Ele armazena imagens e laudos de raio-X, tomografias da UPA e do Posto de Atendimento Médico (PAM). Através do convênio com a prefeitura de Bagé onde podem ser feitos até cinco mil exames por mês. Os laudos são emitidos por médicos em Bagé e Porto Alegre, tendo a espera de 12 horas e de duas horas para os casos de urgência e emergência", relata o diretor. 

Os exames também são disponibilizados para Candiota, Aceguá, Hulha Negra, Dom Pedrito e Lavras do Sul, através da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde. 

 

SUS

No dia 17 de julho deste ano, o Hospital Universitário Doutor Mário Araújo (HU), mantido pela Fundação Atilla Taborda (FAT/Urcamp), inaugurou 39 leitos da unidade três para o Sistema Único de Saúde (SUS). 

De acordo com o diretor-técnico do HU, médico Henry Ritta, todos os leitos foram reformados e estão equipados de camas, colchões e cadeiras de acompanhantes novas. Os quartos ainda possuem televisão a cabo e acesso à internet.

Tais recursos foram angariados a partir de parcerias com organizações não governamentais como Rotary, Exército Brasileiro, mediante iniciativa do 25º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC), Grupo Doe Amor, comunidade e diversas empresas. 

Ainda segundo Ritta, o projeto prevê a reativação do bloco cirúrgico antigo, mas com previsão de inauguração de um novo em até 90 dias. “Nos comprometemos em dar condições de atendimento ao hospital desde outubro do ano passado. Temos mais serviços agora do que antes da instituição encerrar as atividades. É senso de missão cumprida”, afirma o diretor-técnico.

Para o futuro, a administração trabalha na reabertura do bloco cirúrgico novo e na construção de uma nova central de oxigênio, cujo valor do metro cúbico será 1/3 do atual e também a reativação da Unidade de Tratamento Intensivo.

 

Mais tecnologia

No HU está sendo implantada muita tecnologia - realidade em outros hospitais renomados. Conforme o responsável pelo setor tecnológico, diretor Eduardo Pizani, agora alguns setores possuem controle de acesso digital. Na nova recepção, os acompanhantes são cadastrados e recebem um cartão de acesso que ao ser aproximado do aparelho censor, abre a porta automaticamente. Entrada e saída são registradas no sistema. A nova metodologia funciona, também, na sala de prescrição médica, onde apenas os clínicos têm acesso.

O ambulatório para procedimentos de enfermagem está funcionando desde o dia 1º de Setembro. De acordo com Rafael Ribeiro, diretor clínico da instituição, o local qualifica ainda mais o atendimento prestado pelo HU, tanto para os pacientes internados quanto para pacientes encaminhados para procedimentos mais simples. No local, serão realizados curativos, troca de sonda e testes mais simples, como HGT (glicose). “Estamos oferecendo mais um núcleo de especialidade para o ambulatório, que já contava com o serviço de nutrição e farmácia hospitalar”, destaca.


Serviços de nutrição e farmácia

A nutricionista Giovana Miguel conta que a área nutricional é dividida em duas: a parte clínica e a de produção. "Todos os pacientes são atendidos pela nutrição, são elaboradas dietas para cada um. Já a produção faz as refeições, seis diariamente, para os pacientes, além de café da manhã e da tarde para todos acompanhantes", explica Giovana.

A especialista também completa dizendo que há quatro pessoas na produção dos alimentos. Em janeiro foram fornecidas 1,2 mil refeições, já em julho foram 5,1 mil. "O funcionamento é das 7h às 19h, temos também a nutrição enteral (sonda) para pacientes que não conseguem se alimentar, vem em um sistema fechado dos fornecedores e administramos aos pacientes", ressalta. 

A farmacêutica Gisele Camponogara informa como funciona a dispensação de medicamentos. "Temos rastreabilidade. Todos os medicamentos têm código de barras, dando mais segurança. Os lotes são todos cadastrados. Também é feita uma entrevista com os pacientes e acompanhantes, pois os medicamentos que são administrados em casa são feitos com controle pela farmácia e dispensados por nós", acrescentou. A entrevista é feita no dia anterior e a farmácia funciona até as 23h. 

No Hospital Universitário há 60 funcionários, sendo 40 na parte de enfermagem, 10 enfermeiros e 30 técnicos de enfermagem, conta o administrador Romário Almeida. "As equipes são montadas conforme o núcleo de segurança e também sob regulamentação do Coren (Conselho Regional de Enfermagem). Cada nove pacientes são assistidos por um técnico", conclui o administrador. 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...