ANO: 25 | Nº: 6488
12/09/2017 Fogo cruzado

Antenor desabafa após prisão de diretor da JBS

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Progressista abordou assunto em discurso na tribuna
Progressista abordou assunto em discurso na tribuna

O vice-presidente da Câmara de Bagé, Antenor Teixeira, do PP, falou, durante pronunciamento na tribuna, ontem, sobre a prisão de Joesley Batista, dono da empresa JBS, formalizada no domingo. No final de maio, o nome do progressista apareceu em uma planilha da empresa, entregue à Justiça, em delação premiada da Operação Lava Jato, que, agora, pode ser anulada. “Como eu fico? Quero saber como eu fico? Permitiram que colocassem meu nome na lama, com essas delações”, desabafou.
Teixeira já havia afirmado, ao Jornal MINUANO, ainda em maio, que nunca tratou sobre as questões financeiras da campanha de 2008 (quando disputou a prefeitura), que são mencionadas nas planilhas da JBS. Diante da possibilidade a anulação da delação, o progressista, falando em tom de alívio, cobrou posições sobre a implicação de seu nome. “Tive que aguentar muita coisa. Agora quero saber quem vai reparar os danos”, disse.
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ainda considera a possibilidade de anular a delação da JBS. A possibilidade de revisão do acordo ocorre diante das suspeitas dos investigadores do Ministério Público Federal (MPF) de que o empresário Joesley Batista e outros delatores ligados à empresa esconderam informações da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...