ANO: 24 | Nº: 6183
16/09/2017 Cidade

Sonia Leite anuncia fechamento de Lar Santo Estevão

Foto: Antônio Rocha

Entidade atende crianças de baixa renda desde 1974
Entidade atende crianças de baixa renda desde 1974

Após duas décadas à frente do Lar da Criança Santo Estevão, a vereadora Sonia Leite, do PP, anunciou, na sexta-feira, o encerramento das atividades da entidade. Segundo ela, problemas de saúde a impedem de continuar o trabalho voluntário que desenvolve há 21 anos.
O lar foi fundado em 1974, por Manoelinha Araújo e Reverendo Antônio Guedes, através da Igreja Anglicana do Brasil, já tendo funcionado como internato. Após uma série de dificuldades econômicas, a entidade passou para nova direção, desta vez com Sônia Leite como mantenedora.
Junto à comunidade, que abraçou a causa através dos padrinhos, a casa tem se mantido nos últimos 21 anos, atendendo crianças de dois a quatro anos de famílias de baixa renda. Durante o turno integral, além das atividades de recreação sob o cuidado de três funcionárias, as crianças recebem quatro refeições diárias.
Atualmente, o lar, localizado no bairro Santa Flora, na zona leste de Bagé, atende cerca de 25 crianças, que permanecem até o dia 17 de novembro, data da festa de encerramento das atividades. O prédio será devolvido à Igreja Anglicana do Brasil. “Estou há 21 anos à frente do lar e sempre em busca de parceiros, que pudessem me auxiliar, mas ninguém demonstrou interesse. Infelizmente, com o coração partido, eu anunciou o fechamento, que é um pedacinho do céu para mim e para a comunidade que sempre apoiou e foi atendida no local”, destacou.
Sonia alegou que problemas de saúde a impedem de continuar com a mesma carga de tarefas que vinha desempenhando nos últimos anos. Desta forma, teve de abrir mão de algumas atividades, entre elas a coordenação da entidade.
Ela também apontou que exigências feitas pela Vigilância Sanitária quanto ao espaço, com necessidade de adaptações como reformas na cozinha e instalação de telas, também contribuíram para a decisão. “Com o auxílio dos padrinhos, que são cerca de 300, nós conseguimos manter a casa em ordem, quitando uma folha de pagamento pesada, realizando as manutenções necessárias. Mas as despesas são altas e essas adaptações exigidas requerem um valor de que não dispomos”, apontou.
A vereadora adianta que a festa de encerramento irá homenagear antigos assistidos, hoje já adultos, além de personalidades que ajudaram a manter o serviço funcionando durante todos esses anos.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...