ANO: 25 | Nº: 6400

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
18/09/2017 Divaldo Lara (Opinião)

Excelentes resultados para Bagé em Brasília

Na semana passada estive em Brasília com uma comitiva de lideranças políticas e institucionais compromissadas com Bagé e seu desenvolvimento. Realizamos um trabalho intenso, atendendo tudo o que definimos em nosso cronograma. Em emendas parlamentares confirmamos a quantia de R$ 3 milhões para as áreas de Saúde, Educação e Infraestrutura.
Na Caixa Econômica Federal, que é uma instituição financeira que avalia e fiscaliza a maior parte dos projetos, programas e recursos do governo da União que são executados em Bagé, firmamos nossa relação, que deve ser de confiança, estreita e bem trabalhada para que tudo ande dentro da normalidade entre os setores de projeto e engenharia, tanto da Caixa quanto da prefeitura. Isso nos garante um fluxo ainda maior de trabalho, o que é muito bom para o nosso município. Vale ressaltar a importância de se ter uma equipe qualificada em projetos, como Márcio Pestana com sua capacidade de elaborar e saber onde e como deve tramitar cada projeto para que tenhamos êxito na tramitação e aprovação. Valorizo muito uma equipe que saber ser profissional e trabalha unida, destacando cada pessoa por seu talento, qualidade e dedicação.
No Ministério do Esporte tratamos da regularização do Programa Segundo Tempo, que enfrenta graves problemas de prestação de contas nos exercícios de 2005 (Esporte e Lazer da Cidade) e 2009. Isso porque Bagé está classificada em segundo lugar no Estado para receber o programa na modalidade Paradesporto. Também estamos classificados no Modelo Padrão. A má gestão do passado nos tem causado grandes prejuízos. Pagamos por mal feitos.
A comitiva institucional de Bagé em Brasília contou com a reitora da Urcamp, Lia Quintana, com o vice-reitor da Unipampa, Maurício Vieira, com o coordenador de Formação Geral e professor de Educação Física do IFSul, Tiago Hartwig, e com o presidente da Câmara Municipal, Edimar Fagundes Cardoso. Entre os temas tratados, avançamos com o Parque Científico e Tecnológico Binacional do Pampa, através da Unipampa; obtivemos apoio através de emendas para o segundo módulo do ginásio esportivo do IFSul, e o Hospital Universitário, entre outros na pauta da Urcamp, obteve benefícios, principalmente para o bloco cirúrgico.
A legalização e escrituração de propriedades foram pautas no Ministério das Cidades e a liberação de R$ 18 milhões em projetos no Ministério do Turismo. Este último também depende de resolver “não feitos” do passado, que corremos para encontrar uma solução, perdendo tempo e dinheiro. Conseguiremos. Trabalho e fé não faltam.
Ouvimos elogios em todos os setores que estivemos, gabinetes de parlamentares, ministérios e estatais. Isso é muito bom. Porque chegamos a Brasília organizados, com documentos, programas e projetos. A organização é fundamental, a equipe qualificada é essencial e o conhecimento dos trâmites é o que faz andar as reivindicações.
Estamos no caminho certo.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...