ANO: 25 | Nº: 6378
22/09/2017 Cidade

Centro da Educação oferece atividades lúdicas com ênfase na Responsabilidade Social

Foto: Tiago Rolim de Moura

Várias atividades foram propostas no feriado
Várias atividades foram propostas no feriado

Em um dia de praça cheia, as atividades da Semana da Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular, realizadas pela Universidade da Região da Campanha (Urcamp), chamou a atenção no feriado do dia 20 de Setembro. A Praça da Estação reuniu centenas de famílias, que aproveitaram a tarde de quarta-feira com as atividades desenvolvidas pelo Centro de Ciências da Educação, Humanidades e Arte (CCEHA).

A diretora do centro e coordenadora do curso de Pedagogia, professora Marlisa Fico, comenta que as atividades desenvolvidas reuniram cerca de 400 pessoas durante a tarde, com “reflexo altamente positivo não apenas para a comunidade acadêmica, mas, também, para as famílias, que contaram com atividades diferenciadas, que aproximam a universidade da comunidade”, destacou.

Atividades

Entre as ações desenvolvidas, o curso de Biologia chamou a atenção com a oficina de reciclagem de caixas de leite, transformando-as em sacolas de presente. Outra atividade desenvolvida pelo curso foi a produção de massa de modelar a partir de matéria-prima comestível, utilizando coisas simples da cozinha de todos, como farinha, sal e óleo, além do corante comestível. “É exatamente o mesmo efeito das massinhas que compramos em loja, mas que economiza, porque pode ser feita em casa, e com produtos simples, que não oferecem nenhum risco à saúde da criança”, destaca a coordenadora do curso, Ana Leão.

Já o curso de História, coordenado pela professora Clarisse Ismério, ofereceu aos participantes da atividade, as oficinas educativas: Conhecendo a História da África e a Cultura Afrodescendente.

Uma das atividades que envolveu a criançada que aproveitava a tarde na praça foi a Brinquedoteca, que é o laboratório de práticas do curso da Pedagogia. O projeto “Brincar na Praça” disponibilizou uma série de brinquedos fabricados pelos próprios estudantes com material reciclável. Muitos dos itens, como as cordas, os pés de lata, bambolê, peteca e cavalo de pau, apesar de antigos, eram desconhecidos pelas crianças.

Marlisa destacou que o projeto é um resgate dos brinquedos antigos, dando novas alternativas à tecnologia aos brinquedos das crianças, em um ambiente lúdico. Além disso, também foram desenvolvidos, por alunas integrantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), atividades pedagógicas, como pintura com tinta guache, contação de histórias, jogos para desenvolver a motricidade fina e jogos de alfabetização, que atenderam crianças de quatro a nove anos.

Integração entre acadêmicos e comunidade

Acadêmicas do 4º semestre de Pedagogia, Thaís Conceição, 19 anos, e Kelen Vargas, 22 anos, foram as responsáveis por coordenar a animação dos pequenos na brinquedoteca. Elas contam que esta foi a primeira atividade prática das duas, fora das salas de aula, e que foi recompensador. “É gratificante ver o sorriso no rostinho de cada uma das crianças. E é muito interessante porque para muitos deles, foi o primeiro contato com esses brinquedos, que são de outra geração”, destaca Kelen.

Já Thaís ressaltou a importância das atividades: “Hoje, as crianças costumam brincar mais com celular, com tecnologia. Então esse tipo de atividade, ao ar livre, em contato com a natureza, é saudável e até novidade para eles”, comenta.

Milca Medeiros, 30 anos, e a filha, Júlia Garcia, de dois anos e quatro meses, saíram de casa para aproveitar o dia na praça. Lá, participaram das atividades desenvolvidas pelo Centro de Ciências da Educação, Humanidades e Arte (CCEHA). “Achei a questão da reciclagem muito interessante, porque possibilita que nós mesmos façamos brinquedos para os nossos filhos com as coisas que temos em casa, e com a ajuda deles mesmos. É bom porque foge um pouco da tecnologia e apresenta a eles brinquedos manuais que não conhecem. É uma forma de trabalhar a criatividade dos pequenos, aguçar a curiosidade deles pelas coisas”, afirma.

A Urcamp participa da iniciativa, proposta pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) desde 2007, com o objetivo de aproximar o ambiente acadêmico da sociedade, disponibilizando serviços e atividades, que proporcione aos estudantes um momento de reflexão e conscientização por meio das ações.

 

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...