ANO: 25 | Nº: 6401
26/09/2017 Cidade

Cpers organiza ato para avaliação da greve

Foto: Tiago Rolim de Moura

13ª CRE não registra nenhuma escola em paralisação integral
13ª CRE não registra nenhuma escola em paralisação integral

O 17º Núcleo do Cpers/Sindicato realiza, amanhã, uma assembleia de mobilização de greve, deflagrada pela categoria no dia 5, em resposta ao parcelamento dos salários, formalizada pelo governo do Estado. O local para a realização da atividade ainda será definido pela representação sindical dos professores.
No início da greve, haviam quatro escolas totalmente paralisadas em Bagé. De acordo com as informações repassadas pela 13ª Coordenadoria Regional de Educação (13ª CRE), no momento não há nenhuma escola totalmente paralisada nos sete municípios de abrangência da coordenadoria, apenas situações isoladas de adesão à paralisação.
Todas as escolas da rede estadual estão funcionando em tempo integral, ainda que alguns professores estejam paralisados. “Em todas as escolas há, pelo menos, um funcionário e um professor em greve”, comenta a diretora do 17º Núcleo do Cpers/Sindicato, Delcimar Delabary Vieira.


Mobilização

Professores e funcionários de escolas da rede estadual de Bagé participaram, no dia 21, de uma atividade de mobilização da greve, em Santana do Livramento. A Caravana das Plenárias Macro Regionais percorre cidades que integram os 42 núcleos do Cpers/Sindicato, onde serão realizados debates com a comunidade escolar sobre a atual situação da categoria.
A intenção é mobilizar professores e funcionários para aderir à paralisação. O objetivo das plenárias é estabelecer um debate com a categoria e a comunidade escolar sobre a situação dos educadores e a educação pública gaúcha. Delcimar relata que os professores de Bagé participaram da atividade em Santana do Livramento porque o Estado foi dividido em macro regiões. Também participaram da atividade professores e funcionários dos municípios de Alegrete e Uruguaiana.
Em relação à região da Campanha, a sindicalista afirma que a mobilização mantém atividades nas instituições de ensino estaduais. “Estamos visitando as escolas, conversando com professores e funcionários e levando carta do comando de greve estadual para os diretores, falando sobre a importância de manter a categoria mobilizada”, explica.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...