ANO: 25 | Nº: 6335
03/10/2017 Fogo cruzado

Câmara vai priorizar CPI das oficinas e comissão do funcionalismo

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Medida foi anunciada pelo presidente da Casa
Medida foi anunciada pelo presidente da Casa

Cinco colegiados especiais, formados pelo Legislativo bajeense, serão extintos. Com a medida, anunciada ontem pelo presidente da Câmara, vereador Edimar Fagundes, do PRB, a Casa deve priorizar os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das oficinas e a comissão criada para acompanhar reivindicações do funcionalismo.
A CPI foi reinstalada em junho, para apurar denúncias de irregularidades na contratação de oficinas mecânicas e nas despesas em manutenções dos veículos, máquinas e equipamentos pesados da Prefeitura de Bagé durante a gestão do ex-prefeito Dudu Colombo, do PT
O colegiado havia sido formado, originalmente, no ano passado. Ocorre que a legislatura encerrou sem apresentação do relatório final, inviabilizando o prosseguimento dos trabalhos.
O novo requerimento de instalação, aprovado pela Câmara no dia 22 de maio, foi assinado por todos os vereadores – incluindo os parlamentares do PT. A CPI tem cinco integrantes, sendo dois do PTB. A Comissão ainda deve deliberar sobre agenda e cronograma de trabalho. O processo inclui convocações e pedidos de informação. O prazo inicial, para conclusão do relatório, que era de 90 dias, provavelmente será prorrogado, por igual período.
Fagundes afirma que a priorização, no caso da CPI, atende a uma recomendação da promotoria. A Casa também deve, porém, aprofundar os debates sobre as pautas dos municipários. A discussão inclui o reescalonamento. A extinção dos colegiados, neste sentido, serve para viabilizar os trabalhos, do ponto de vista técnico, sem sobrecarregar a agenda e o cronograma dos servidores.
A comissão pela manutenção da Fase B do complexo termelétrico de Candiota, a comissão criada para tratar da Telefonia Móvel Urbana e Rural, a comissão criada para debater a prestação de serviços por parte das instituições financeiras, a comissão especial de segurança e violência e a comissão especial para tratar sobre a valorização da vida deixam de existir no Legislativo. A maioria não tinha agenda e nunca se reuniu.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...